O Beneditense mostrou na tarde de ontem que é uma equipa a ter em conta no que diz respeito ao título na Divisão de Honra Distrital. A formação liderada por Leandro Santos foi até Marrazes impôr uma goelada por 0-4 num jogo em que foi melhor, fazendo da eficácia uma arma letal. Nesse capítulo, o homem do jogo foi Dário Marquês que, para além de ter sido uma seta constantemente apontada à baliza marrazense, assinou três golos e uma assistência.

O jogo começou com um Beneditense a apresentar um futebol mais autoritário, chegando mesmo a estar perto do golo na sequência de um canto de Dário Marquês em que Carlos Vieira teve uma má abordagem ao lance acabando por ver a bola embater na trave.

O Marrazes demorou a ‘entrar’ no jogo, mas quando ganhou confiança conseguiu criar muito perigo quando André Lourenço tentou o remate de longe com a bola a ressaltar para Chiquinho que, em boa posição, rematou para excelente defesa de Diogo Soares que impediu o golo inaugural.

Este lance colocou em sentido uma formação da Benedita que apresentava um futebol mais trabalhado, perante um Marrazes a jogar mais em contra-ataque, mas foi a equipa visitante quem se adiantou no marcador ao beneficiar de uma grande penalidade a castigar falta de Annyce sobre Tonicha na grande área. Na conversão do castigo máximo, Dário Marquês não desperdiçou.

O Marrazes tentou responder de imediato subindo as suas linhas, mas a melhor situação que conseguiu criar surgiu num livre directo de André Lourenço que bateu na barreira e obrigou Diogo Soares a aplicar-se.

Com o jogo mais aberto, o Beneditense tinha mais espaço para contra-atacar e foi assim que aumentou a vantagem quando Élio Alexandre procurou a profundidade no ataque com os centrais marrazenses a atrapalharem-se e a deixarem Dário Marquês na cara de Carlos Vieira, com o avançado beneditense a assinar um chapéu de classe que só parou no fundo das redes.

Na segunda parte esperava-se uma reacção dos homens da casa, mas o Beneditense não permitiu quaisquer veleidades ao marcar logo no primeiro minuto na sequência de um canto de Dário Marquês em que Élio Alexandre cabeceou à boca da baliza para o 0-3, num lance que suscitou alguns protestos dos homens da casa por pretensa falta.

Com a vitória no bolso, o Beneditense baixou de intensidade e o Marrazes aproveitou para ‘crescer’ no jogo com Fiori a deixar o primeiro aviso com um remate de longe que passou perto do poste.

Contudo, o Marrazes continuava a somar erros ao nível do passe e quem aproveitou foi Dário Marquês que ligou o turbo, ficou isolado, ultrapassou Carlos Vieira e atirou para a baliza deserta para fazer o 0-4.

O Marrazes ainda tentou minimizar os estragos, mas fazia-o mais com o coração do que com a cabeça pelo que não conseguia chegar com perigo junto da baliza de Diogo Soares. Do outro lado, o Beneditense foi quem esteve mais perto do golo num lance de contra-ataque puro em que Lucas Grilo tentou o remate em jeito vendo a bola a embater na barra.

Excelente arbitragem de Ricardo Carreira. Decidiu sempre bem nos lances mais difíceis de ajuizar.

SCL Marrazes       0
Carlos Vieira, Pedro Jota, Vitari (Douglas, 68′), Annyce (Gonçalo Santos, int.), André Carvalho, Chiquinho, André Lourenço, David Lopes (c), Diogo Oliveira (Zé Augusto, 38′), Edimilson, Fiori.
Não jogaram: Roberto, José Rafael, João Matos, Tiago Sobreira.
Treinador: Paulo Rabaça.

Beneditense          4
Diogo Soares, André Justino, Tiago Gonçalves, Élio Alexandre, Rafael Ramalho, Batuto, David Mendes (RS, 61′), Pedro Pimenta (João Matias, 57′), Tonicha, Lucas Grilo, Dário Marquês (Luisinho, 76′).
Não jogaram: Ângelo, Bernardo Subtil, Niko, Diogo Lopes.
Treinador: Leandro Santos.

Campo Aldeia do Desporto, Marrazes
Árbitro: Ricardo Carreira. Auxiliares: Henrique Ramos e Pedro Menino.
Espectadores: 100. Ao intervalo: 0-2.
Golos: 0-1 Dário Marquês (25′, g.p.), 0-2 Dário Marquês (41′), 0-3 Élio Alexandre (46′), 0-4 Dário Marquês (55′).
Disciplina: Amarelo a Edimilson (22′), Annyce (24′), David Lopes (70′), João Matias (80′), Diogo Soares (88′), André Lourenço (90+1′).

Texto e foto: José Roque – Diário de Leiria