19260232_1417429964993001_8957381819208038619_n

O Diário de Leiria volta a fazer a eleição daquele que considera ser o melhor onze da Divisão de Honra na época 2016/17.Recorde os onze jogadores que mais se destacaram nas suas respectivas posições ao longo da temporada, que consagrou o AC Marinhense como campeão distrital e vencedor da Supertaça. Confira também o banco de suplentes de ‘luxo’.

Wagner Menegalli (SC Pombal)
O guarda-redes brasileiro de 21 anos teve uma época de grande afirmação naquela que foi a segunda época a serviço do SC Pombal. Segurança entre os postes, reflexos apurados e forte determinação são os predicados que melhor caracterizam um jogador que parece preparado para os mais altos voos.

Tiago Clemente (SCL Marrazes)
De regresso ao SCL Marrazes onde fez a sua formação, Tiago Clemente fez uma época de grande nível tendo em conta que foi adaptado a lateral direito, uma posição que abraçou como sua, compensando algumas lacunas no posicionamento defensivo com muito atrevimento ofensivo e várias assistências para golo.

Zé Ricardo (AC Marinhense)
O defesa-central de apenas 19 anos foi uma das grandes revelações da época. Mostrou sempre segurança no eixo defensivo do campeão distrital e apresenta uma margem de progressão enorme. Um ‘diamante’ para seguir com muita atenção.

Nélson Marques (SCL Marrazes)
O defesa-central de 25 anos tem vindo a crescer de ano para ano e esta época foi um dos principais responsáveis pela excelente campanha do Marrazes. ‘Patrão’ da defesa, joga como um autêntico ‘pitbull’ na busca incessante de deixar a sua retaguarda a salvo. Imperial.

Paulo Martins (SC Pombal)
A cumprir a quarta época ao serviço do SC Pombal, o lateral esquerdo teve uma temporada de afirmação aos 25 anos, transmitindo segurança defensiva, para além de se integrar na dinâmica ofensiva da equipa sempre com grande critério. Um valor seguro do nosso futebol.

Luís Pinto (GD Peniche)
O capitão do GD Peniche é, aos 23 anos, o principal pêndulo da sua equipa, transmitindo segurança e tranquilidade aos seus colegas pela forma pragmática como se apresenta em campo. Um médio defensivo de grande classe.

Ricardo Carvalho (GRAP)
O que dizer de um médio que chega ao final da época com 14 golos marcados? No seu segundo ano ao serviço do GRAP, Rica, de 25 anos, fez uma temporada de grande nível, aliando a sua capacidade técnica e grande leitura de jogo à veia goleadora. Foi determinante e decisivo para a boa época da sua equipa.

Baixinho (AC Marinhense)
Cristiano Rodrigues (Baixinho) figura pelo segundo ano consecutivo do melhor onze da Divisão de Honra. Aos 26 anos está mais maduro, aliando a sua imprevisibilidade e dinamismo, a uma maior inteligência na hora da decisão. A isso se deve um número elevadíssimo de assistências e golos, actuando como extremo. Um ‘rato atómico’ que não pára de surpreender.

Yassine Kalda (SCL Marrazes)
De regresso ao Marrazes onde fez parte da sua formação, o extremo de 22 anos voltou a rubricar uma época muito regular, onde foi determinante em vários jogos, quer através da sua técnica individual acima da média quer pela velocidade que imprime ao jogo. Assinou várias assistências para golo e assim que conseguir controlar o seu temperamento pode ambicionar outros voos.

João Paulo (AC Marinhense)
João Paulo poderá ser o nome mais controverso nesta lista não pela sua qualidade que é inquestionável, mas sim por só ter chegado ao AC Marinhense em Março. Contudo, foi absolutamente determinante para a conquista do título distrital do Marinhense, assim como para a conquista da Supertaça. Surpreendeu a jogar como avançado parecendo conhecer a posição como ninguém. Além disso, o atleta de 36 anos mostrou que ainda tem muito para dar, revelando enorme profissionalismo e entrega em todos os jogos.

Miguel Carvalho (SCL Marrazes)
Mais uma vez, o avançado de 32 anos deixa a sua marca por onde passa. O que dizer de um atleta que se tornou o melhor marcador da Honra com 24 golos marcados? Apenas que Miguel Carvalho é sinónimo de golos… e muitos. De regresso ao Marrazes onde fez a sua formação, o avançado foi decisivo para o segundo lugar da sua equipa, para além da presença na final da Taça. Quem sabe não esquece e Miguel Carvalho voltou a prová-lo, com muita classe à mistura.|

Banco de Suplentes: João Guerra (AC Marinhense), Miguel Cá (SC Pombal), Tiago Ferreira (GD Peniche), Conca (SCL Marrazes), Tiago Tavares (GD Pelariga), Rúben Coelho (AC Marinhense), Nuno Teles (GRAP)

Melhor treinador: Marco Aurélio (SCL Marrazes)
Levou o Marrazes ao segundo lugar no campeonato e à final da Taça que acabaria por perder. Contudo, a distinção a Marco Aurélio deve-se, sobretudo, pelo futebol praticado pela sua equipa ao longo da época, onde foi a mais regular em termos exibicionais.