Eduardo Marques, que comandou, entre outros, o Caldas e o Beneditense na antiga II Divisão Nacional, é o novo treinador da equipa feminina do GDC A-dos-Francos, que disputa a Liga Allianz. O técnico vem ocupar o lugar deixado vago por Renato Fernandes, que orientou a equipa durante duas épocas, registando um quarto e um nono lugar.
 
“Nada fazia prever o meu regresso ao futebol, e muito menos para o futebol feminino, não me passava pela cabeça”, disse Eduardo Marques à Gazeta das Caldas sobre este seu regresso ao activo. O técnico retirou-se no final da época 2010/11, na qual comandou os destinos do Bombarralense na entretanto extinta III Divisão Nacional.
Aos 57 anos aceitou voltar para um desafio muito diferente, o de treinar uma equipa feminina na Liga Allianz. Diz que após o primeiro convite chegou mesmo a indicar treinadores alternativos aos dirigentes do A-dos-Francos, “mas as pessoas continuaram a insistir, possivelmente pela experiência que tenho”. Mas foi em casa que sofreu o último empurrão para aceitar o desafio. “A minha filha é fã do futebol feminino e insistiu comigo para vir dar uma ajuda, foi sem dúvida uma influência”.
Outro incentivo para o regresso é treinar no principal escalão, num futebol feminino em grande desenvolvimento tanto ao nível do jogo, como da organização e do mediatismo, com a aposta muito séria da federação nesta variante e com a entrada de clubes de topo, como foram os casos de Sporting e Sp. Braga. “É um aliciante tanto para as jogadoras como para os treinadores”, reconhece.
Eduardo Marques acredita que se pode dar um passo em frente no projecto do A-dos-Francos, que já se tem destacado nas últimas épocas a nível nacional e como uma referência clara no distrito de Leiria. “Vamos tentar dar um sentido mais profissional ao projecto, em dois anos o futebol feminino teve uma transformação muito grande, ficou muito mais exigente”, realça.
Se na época passada o campeonato foi difícil, uma vez que houve redução de 14 para 12 equipas, o que promoveu mais descidas, por outro essa redução faz com que a competitividade aumente.
Eduardo Marques desenvolve a sua actividade profissional nas infra-estruturas desportivas municipais e fruto do cargo que desempenha teve oportunidade de acompanhar vários jogos, pelo que já tem algum conhecimento da equipa. O objectivo primordial continua a ser a manutenção até porque os clubes mais poderosos não facilitam a tarefa de recrutar jogadoras.
Para a construção do plantel o técnico conta ficar com quase todas as jogadoras da época passada e está já a trabalhar para garantir alguns reforços. “Já temos alguns contactos feitos para trazer jogadoras que foram observadas em clubes aqui à volta. Temos que as motivar com a competição, porque não recebem nada além das despesas”, refere.
O técnico vai voltar a fazer-se acompanhar por Rui Roque, com quem já fazia equipa técnica nas últimas épocas. Haverá ainda um terceiro elemento para a equipa de treinadores. Será um elemento feminino, em regime de estágio, que além do seu input vai permitir que haja uma ligação constante com as jogadoras no balneário. “É um aspecto importante e sei que o Sporting também o tem”, aponta.
A pré-época começará a 14 de Agosto no relvado do complexo desportivo, onde a equipa vai trabalhar até 18. A competição tem início previsto para 9 de Setembro, no entanto o clube vai tentar adiar a primeira jornada, tendo em conta que após essa ronda existe uma pausa de duas semanas devido aos trabalhos das selecções. A equipa vai manter o sistema de treinar duas vezes por semana em A-dos-Francos e uma no Campo Luís Duarte.
No entanto, existe uma novidade em relação aos jogos, que passam a ser na Quinta da Boneca, onde existem melhores condições para o público, desde a bancada às casas de banho e também o apoio de bar, mas também para os observadores e comunicação social.
 
“Jogadoras precisavam da mudança”, diz Renato Fernandes
 
Renato Fernandes orientou a equipa feminina do A-dos-Francos nas duas últimas épocas, conseguindo um quarto lugar na época de estreia e, esta época, com o alargamento e a entrada de clubes de nomeada, atingiu o nono lugar.
O técnico salientou que o objectivo primordial era a manutenção e esse foi atingido com folga, a cinco jornadas do fim. No entanto o grupo almejava o sétimo lugar, dentro da primeira metade da tabela, e esse não foi atingido, após resultados menos conseguidos nas duas últimas rondas, com o Ouriense e o Ferreirense. “Não estivemos muito bem nesses dois jogos, com equipas que estavam ao nosso alcance”, lamenta Renato Fernandes.
O técnico destaca a primeira volta “muito boa” da equipa. Na viragem do campeonato a equipa estava em quinto com 22 pontos, mas só conseguiu mais 13 na segunda volta. “Caímos depois por vários factores”, aponta. Por um lado surgiram lesões em elementos importantes, por outro a perda de Cristiana Garcia para o Sp. Braga, nessa altura, foi difícil de colmatar. “A Cristiana estava num momento muito bom, fazia a diferença no nosso meio campo e sentimos a saída. Ainda recuperámos em Fevereiro e Março, mas depois ficámos debilitados pelas lesões”, justifica.
A saída não foi motivada pelos resultados, foi opção do técnico tomada ainda em Março, depois de uma abordagem da direcção do clube para a renovação em Janeiro. O técnico justifica a decisão pelo cansaço de uma época desgastante, em que o clube manteve três equipas em competição, mas também porque sentiu benefício na mudança para as jogadoras. “Senti que as jogadoras estavam muito ligadas aos métodos e podiam beneficiar de trabalhar agora com outra pessoa”.
Renato Fernandes acredita que a equipa tem valor para fazer um bom trabalho mantendo a estrutura. Elogia o sucessor e também a direcção, que apesar de curta “é uma direcção sempre presente e que tem experiência na Liga”.
O técnico diz que foi uma experiência enriquecedora. “Não conhecia a realidade do futebol feminino e foi uma experiência muito boa, até porque tive a felicidade de apanhar uma fase de desenvolvimento exponencial do futebol feminino a todos os níveis”. Diz que sai a bem do clube e acrescenta que vai ser “mais um adepto a torcer pela equipa”.
Foto e Texto: Joel Ribeiro – Gazeta das Caldas