Num jogo equilibrado e próprio de início de época, com muitas perdas de bola de parte a parte, Marinhense e Caldas empataram a uma bola e seguem, assim, sem vencer no Campeonato Nacional.

O Caldas entrou melhor no jogo, e logo aos 9′, no seguimento de um canto na esquerda, a bola atravessou toda a área do Marinhense, e Gustavo, à vontade, cabeceou, mas a bola saiu ligeiramente por cima da baliza de Duarte. Pouco depois, após cruzamento para a área, Ivo, em excelente posição, finalizou fraco quando tinha tudo para inaugurar o marcador.

Não aproveitou o Caldas, aproveitou o Marinhense que, praticamente na primeira jogada em que conseguiu chegar à área adversária, chegou à vantagem. Na sequência de um canto, a bola sobrou para João Dinis à entrada da área que, com um remate indefensável, inaugurou o marcador.

Em desvantagem num jogo em que até aí estava a ser a melhor equipa, o Caldas não baixou os braços e, no lance seguinte, foi Duarte que, com uma saída corajosa da baliza, impediu que Ivo pudesse levar muito perigo para a sua baliza.

Perto do intervalo, novo lance de perigo e novamente com os mesmos protagonistas, com Ivo a receber uma desmarcação de Matheus e, com um remate em zona central, obrigou Duarte a uma defesa bastante apertada.

O intervalo parece ter sido bom conselheiro para a equipa da casa que, mesmo estando em vantagem, apareceu muito mais personalizada na etapa complementar. Assim, paulatinamente foi tomando conta do jogo e teve uma grande oportunidade ampliar a vantagem, mas Bruno Soares, só com Luka pela frente, não finalizou com sucesso.

Nesta fase, o Caldas mostrava bastantes dificuldades em conseguir mostrar o que tinha feito na etapa inicial, e com a equipa da casa claramente por cima, aos 63′, e no seguimento de um canto, Petinga rematou com selo de golo, mas um defesa do Caldas conseguiu o corte mesmo em cima da linha de golo. Pouco depois, foi Filipe Codinha quem levou o perigo junto da baliza de Luka.

Dava ideia que o Caldas dificilmente conseguiria contrariar o rumo dos acontecimentos, mas, aos 75′, Henrique Dantas teve uma excelente arrancada na esquerda, cruzou milimetricamente e, oportuno, Ivo fez o 1-1, para desespero dos jogadores do Marinhense.

Pouco depois, e ainda com a equipa da casa algo abalada com o golo sofrido a poucos minutos do fim, numa jogada tirada a papel químico do golo anterior, Henrique Dantas cruzou, mas, desta vez, Ivo não conseguiu finalizar da melhor forma e o resultado final não se alteraria.

Empate justo, num jogo com duas partes bastante distintas e num resultado que certamente não agradou a nenhuma das equipas, mas que acaba por se ajustar ao que se passou ao longo dos 80 minutos, já que ambas as formações desperdiçaram muito no momento da finalização.

Boa arbitragem de Paulo Ferrás, num jogo sem grandes dificuldades.|

AC Marinhense 1
Duarte, Bruno Nazaré (c), Petinga, Gonçalo Pereira, Daniel Leandro, Nuno Trindade, João Dinis, Sandro Belo (Mário Lopes, int.), Filipe Codinha (João Pinto, 66′), Eduardo, Bruno Soares (Diogo Veríssimo, 70′).
Não jogaram: Bernardo, Alex, Rúben Soares, Luís Neves.
Treinador: Bruno Evangelista.

Caldas SC 1
Luka Félix, David Sil, Guilherme Lourenço, Dinis, Cota, Matheus, David Santos (c) (Henrique Dantas, 55′), J. Neves, Gustavo Campos (Tomás Correia, int.), Ivo, Loureiro (Gonçalo Veludo, 66′).
Não jogaram: Gonçalo Matias, Bernardo Veludo, Marcus, D. Silva.
Treinador: Carlos Santos.

Campo da Portela, na Marinha Grande
Árbitro: Paulo Ferrás (Leiria).
Assistentes: Nuno Cadete e José Oliveira.
Espectadores: 100. Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 João Dinis (21′), 1-1 Ivo (75′).
Disciplina: Amarelo a Eduardo (34′).

Texto e foto: Pedro Almeida – Diário de Leiria