Na tarde de domingo, o AC Marinhense voltou a deslocar-se ao terreno do Sertanense depois de lá ter vencido na semana passada para a Taça de Portugal. Desta feita, a sorte não esteve do lado do Marinhense que averbou uma derrota inglória (2-1), já que sofreu o golo no período de compensação, pouco tempo depois de ter chegado ao empate em inferioridade numérica.

Começou melhor o Sertanense quando, na sequência de um canto, Ká atirou de cabeça para boa defesa de João Guer­ra. Na jogada seguinte, após cruzamento da direita, Jorginho aproveitou uma segunda bola para, de cabeça, inaugurar o marcador.

O Marinhense respondeu por Ricardo Pires, que atirou ao lado, após boa jogada de Silas. Apesar da reacção dos homens de Pedro Solá, o Sertanense voltou a criar perigo valendo os reflexos e a atenção de João Guerra para travar os dois remates seguidos de Ká.

Até ao intervalo, o Marinhen­se ainda tentou chegar ao empate, mas os remates de Silas e Jimmy não levaram a melhor direcção. Nem mesmo um tiro do meio da rua de Filipe Sarmento chegou para assustar Fábio Santos.

Com as alterações efectuadas ao intervalo por Pedro Solá, o Marinhense entrou para a segunda parte com uma atitude dominadora. Assim, um cruzamento de Baixinho da direita deu a possibilidade a Rúben Martins de marcar, no entanto, Rojas limpou o lance em cima da linha. Pouco depois, Ricardo Pires cabeceou para enorme defesa de Fábio Santos.

Numa fase em que o Marinhense jogava em inferioridade numérica por expulsão de João Guerra, um bom cruzamento de João Vítor e uma má saída de Fábio Santos deram a Rúben Martins a chance de empatar, mas, no momento do remate, o extremo falhou a bola, em plena pequena área.

A 10 minutos do final, Silas desperdiçou uma grande penalidade, assinalada pelo árbitro por mão na bola de Rojas.

Mesmo com um homem a menos, era o Marinhense quem pressionava e dispunha das melhores oportunidades e o empate acabaria por chegar, quando Rui Maurício traiu o seu guardião, num lance com muito mérito de Baixinho que pressionou o defensor da casa.

No único remate da equipa da casa, na direcção da baliza, durante toda a segunda parte, Sunday acabaria por marcar, de cabeça, na sequência de um canto.

Pelo que trabalhou, sobretudo na segunda parte e pelo tempo que esteve com um jogador a menos, a equipa de Pedro Solá merecia o empate, numa partida em que a equipa de arbitragem demonstrou não estar à altura.|

Sertanense FC 2
Fábio Santos; Tito Júnior (c), Darson, Rojas, Rui Maurício, Jorginho; Robson, Landry, Jean (Marco Grilo, 81’); Ká (Mário Lucas, 84’), Gastão (Sunday, 73’).
Não jogaram: Pedro Bairos, Rafa, Ricardo Santos.
Treinador: Filipe Moreira.

AC Marinhense 1
João Guerra; Filipe Sarmento, Zé Ricardo, João Paulo (c), André Lourenço (João Vítor, 63’); Jimmy (Baixinho, 46’), Carlitos Seidi, Caio Prado (Pedro Carvalho, 69’); Silas, Rúben Martins, Ricardo Pires. Não jogaram: Luís Oliveira, Pedro Rodrigues, Bernardo, Dady.
Treinador: Pedro Solá.

Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos, Sertã
Árbitro: José Laranjeira (Coimbra). Assistentes: Paulo Santos e Duarte Santos.
Espectadores: 300. Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Jorginho (6’), 1-1 Rui Maurício (85’, a.g.), 2-1 Sunday (90+1’).
Disciplina: Amarelo a Zé Ricardo (35’), Jorginho (42’), Carlitos Seidi (48’), Sunday (90+2’). Vermelho directo a João Guerra (66’).

Texto e foto: Pedro Sousa – Diário de Leiria