AC Marinhense 2
Pedro Carvalho; Filipe Sarmento (Zé Ricardo, 35’), Yan Victor, João Paulo (c), João Vítor; Pedro Rodrigues, Jimmy (Ricardo Pires, 66’), Fábio Coça (Baixinho, 76’); Rúben Martins, Silas, Luiz Fernando.
Não jogaram: Jorge Oliveira, Bernardo Lopes, Carlitos Seidi, Carlos Oliveira.
Treinador:Pedro Solá
.
Lusitano 3
Ruca; Paulo Oliveira, Calico (c), Tiago Fernandes, Pedro Rodrigues; Sunday Akoh, Jaquité, Fábio Machado (Barros, 62’); Edgar Lopes (Márcio Santos, 65’), Hélder Lopes, Braz (Klysman, 74’).
Não jogaram:Miguel Dias, Assane, Calila, Guilherme.
Treinador:Rogério Sousa
.
Campo da Portela, Marinha Grande.
Árbitro: Rui Rodrigues (AF Lisboa).
Assistentes: Hugo Coimbra e Daniel Santos.
Espectadores: 200.
Ao intervalo: 0-1.
Golos:0-1 Edgar Lopes (31’), 1-1 Silas (56’), 1-2 Sunday Akoh (61’), 1-3 Sunday Akoh (71’), 2-3 Silas (77’).
Disciplina:Amarelo a Yan Victor (75’), Hélder Lopes (75’), Jaquité (81’), Zé Ricardo (90+3’), Baixinho (90+5’).

O AC Marinhense recebeu o Lusitano FC e acabou por sair derrotado por 3-2, numa partida em que foi claramente superior. A equipa de Pedro Solá entrou a todo o gás e podia ter chegado à vantagem nos primeiros minutos, mas os remates de Silas e Luiz Fernando foram bloqueados por dois defesas em auxílio ao guardião forasteiro. Silas era o mais inconformado dos homens da casa e em duas situações quase chegou ao golo. Primeiro atirou à malha lateral e depois só uma grande defesa de Ruca evitou que abrisse o activo. Só dava Marinhense e Rúben Martins quase inaugurou o marcador, por duas vezes, de cabeça. Primeiro atirou a rasar a trave e depois permitiu uma defesa fácil a Ruca. Na primeira e única vez que o Lusitano foi à baliza de Pedro Carvalho, na primeira parte, chegou ao golo, com um remate acrobático de Edgar Lopes, após um primeiro remate de Fábio Machado, que Yan Victor bloqueou. Uma grande jogada colectiva deu a hipótese a Silas de atirar em força mas o remate esbarrou com estrondo na barra da baliza de Ruca que estava batido. No segundo tempo, o Marinhense voltou a entrar melhor que o seu adversário e com naturalidade chegou ao empate num remate colocado e de fora da área de Silas, após bom passe de Luiz Fernando. Logo a seguir, Ruca evitou o golo de João Paulo com uma grande defesa, após cruzamento milimétrico de Rúben Martins. Em 10 minutos, o Lusitano fez dois golos em dois livres batidos por Jaquité, em que Sunday Akoh ganhou nas alturas a toda a gente e fez o 1-3, com o guarda-redes Pedro Carvalho a ficar mal na fotografia nos dois lances. Ainda assim, o Marinhense não baixou os braços e foi à procura do empate, primeiro Ricardo Pires atirou de cabeça, mas um defesa contrário evitou o golo com a mão. Os homens da casa ainda reduziram para 2-3 num remate cruzado de Silas, após grande passe de Yan Victor. Até ao fim da partida, o Marinhense ainda tentou forçar o empate, mas os remates de Pedro Rodrigues e João Paulo, por duas vezes, não levaram o melhor caminho. O resultado é enganador. Pelo que jogou, o Marinhense merecia a vitória, mas a eficácia dos homens do Lusitano deu-lhes os três pontos, numa partida com uma arbitragem que não esteve ao nível dos dois conjuntos.

Pedro Sousa – Diário de Leiria