Num jogo entre duas equipas a precisarem de pontos como de pão para a boca, Vidreiros e Alvaiázere empataram a uma bola, num jogo pobre, com poucas oportunidades de golo e que só animou nos minutos finais. A igualdade acaba por se aceitar, apesar de ter sido o Alvaiázere a equipa mais criteriosa e perigosa, exceptuando os últimos minutos da partida, altura em que o Vidreiros justificou a repartição dos pontos.

Começou melhor o Alvaiázere, criando cedo uma soberana oportunidade de golo quando Mauricio tirou um adversário da frente e rematou para a baliza, com Pastilhas a tirar a bola junto à linha de golo.

A partir daqui o jogo foi muito disputado no meio-campo, com um futebol aos repelões, sem que nenhuma das equipas conseguisse criar uma jogada com princípio, meio e fim.

Só perto do intervalo é que voltou a surgir uma oportunidade de golo na sequência de um livre em que o Alvaiázere colocou a bola na área, com Simão a cabecear ao lado do poste da baliza do Vidreiros.

A segunda parte foi um pouco mais interessante e voltou a começar melhor o Alvaiázere criando duas boas oportunidades para marcar. Na primeira, foi Simão quem cabeceou pouco por cima após cruzamento na direita. Depois foi Capão quem rematou de longe, com a bola a sair pouco ao lado do poste.

Pelo meio o melhor que o Vidreiros conseguiu fazer foi um remate de Amaro para defesa segura de Palecas.

O guarda-redes do Alvaiázere voltou a estar em evidência pouco depois, ao defender por instinto um cabeceamento com selo de golo do recém entrado Carlos Tiago. Pouco depois foi Ruben Coelho quem cabeceou por cima depois de cruzamento de Carlos Tiago.

Do outro lado, o Avaiázere foi mais eficaz já que num lance de insistência, Mauricio recebeu a bola dentro da área e, solto de marcação, atirou forte para o 0-1, sem hipóteses para David.

A vantagem dos visitantes durou apenas três minutos já que na sequência de um canto de Pastilhas, Nascimento desviou para o golo, restabelecendo a igualdade.

Faltavam dez minutos para jogar e tudo podia acontecer já que o Alvaiázere actuou os últimos minutos reduzido a 10 unidades por lesão de Simão, sem que os visitantes tivessem mais jogadores no banco para fazer substituições.

Assim, o Vidreiros pressionou mais em busca da vitória e já nos descontos, podia ter dado a volta ao resultado quando Carlos Paulo tirou em cima da linha um remate de Carlos Tiago. No último lance do desafio, na sequência de um canto, a turma da casa enviou uma bola à barra.

Arbitragem negativa de Eduardo Brites. Somou demasiados erros sem nexo, mas parece ter ajuízado bem em dois lances em que o Vidreiros ficou a pedir pontapé de penálti.|

GD Vidreiros 1
David, Vitinho, Gonçalo Dias (Ari, 80′), Pedro Órfão (c), Pastilhas, Gonçalo Ribeiro, Matos, Nascimento,Ruben Coelho, Évora (Carlos Tiago, 57′), Amaro (Nelinho, 63′). Não jogaram: Cardoso, João Luís, Suordem, Cláudio.
Treinador: Telmo Cruz.

GD Alvaiázere 1
Palecas, Alex, Rui, Carlos Paulo, Matos, Carvalho (c) (Poeta, 70′), Coimbra, Simão, Capão, Maurício, Fábio. Não jogaram: Ecas.
Treinador: Rui Bugalhão.

Campo do Tojal, em Picassinos
Árbitro: Eduardo Brites. Assistentes: Diogo Lucas e Henrique Querido.
Espectadores: 50. Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 Mauricio (77′), 1-1 Nascimento (80′).
Disciplina: Amarelo a Coimbra (9′), Carvalho (33′), Capão (53′), Pastilhas (55′), Ruben Coelho (86′), Poeta (88′), Matos (90+3′).

Texto e foto: José Roque – Diário de Leiria