O Atlético Clube (AC) Marinhense ainda tem esperança de permanecer no Campeonato de Portugal na próxima época, fruto de uma irregularidade da UD Leiria no jogo que opôs das duas equipas, a 15 de Abril, que terminou empatado (1-1).
Ao final da tarde de domingo, logo após a confirmação da descida de escalão do AC Marinhense – venceu o Sourense por 2-1, mas o Oleiros fez o mesmo frente ao Mortágua -, a direcção do clube publicou um comunicado, falando em irregularidades desportivas que podem levar a alterações na classificação.
“Em virtude de se crer terem existido irregularidades desportivas, tendo as mesmas sido já oportuna e devidamente reportadas aos órgãos competentes, vem esta direcção apelar à serenidade de toda a massa associativa, pois que, existem reclamações/recursos pendentes, os quais poderão confluir numa alteração classificativa favorável ao AC Marinhense, podendo ter impacto directo na época desportiva 2018/19, tudo em prol da verdade desportiva”.
Apesar de o comunicado não pormenorizar a que irregularidades se reporta o AC Marinhense, o Diário de Leiria descobriu que o clube da Marinha Grande recebeu uma informação anónima que referia que a UD Leiria teria jogadores na ficha de jogo entre as duas equipas, que alegadamente não teriam, em termos de exames médico, autorização para o fazer.
Recorde-se que todos os jogadores são obrigados a fazem exames médicos no início da época, mas, caso o jogador seja utilizado um escalão acima, o exame médico terá que ter essa autorização. O que o Marinhense alega agora é que os jogadores Renato Alexandre e André Amores, que constavam na ficha de jogo, não tinham a autorização no exame médico para poder jogar num escalão acima, tratando-se de dois atletas ainda juniores.
O Diário de Leiria sabe ainda que o AC Marinhense fez uma exposição dessas alegadas irregularidades à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e à Associação de Futebol de Leiria na passada sexta-feira, antes do final da competição, no sentido que ainda ser possível evitar a homologação da prova por parte da FPF.
Contactado pelo Diário de Leiria, o director-geral da UD Leiria SAD mostrou-se surpreendido com a situação, mas garante que não houve irregularidades. “Os nossos juniores estão todos autorizados a actuar no escalão acima. Foi algo até que aconteceu em anos anteriores, pelo que não há quaisquer irregularidades”, adiantou Sérgio Renita. Por outro lado, o médico da UD Leiria João André Silva não quis tecer quaisquer comentários.
Caso seja dada razão ao AC Marinhense nesta queixa aos órgãos competentes, a UD Leiria – segundo os regulamentos – incorre numa punição de derrota e uma multa que pode ir dos 2 mil euros aos 15 mil euros. Por outro lado, os três pontos do jogo em questão seriam atribuídos ao AC Marinhense, o que seria suficiente para a formação alvinegra garantir a manutenção no Campeonato de Portugal.|

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Cátia Pereira