Os jogadores da EAS entraram soltos na encontro e a praticar um futebol de elevado pendor ofensivo. Tanto assim foi que, logo nos minutos iniciais, estiveram por duas vezes à beira do golo que chegaria por volta dos 30′, através da transformação de um pontapé de penálti assinalado sobre Rafael Teixeira e convertido por Franklim Junior.
Os forasteiros denotavam dificuldades em chegar ao último reduto do adversário. Mais preocupados em defender e em não perder o jogo do que em tentar vencê-lo, toda a primeira parte decorreu em sentido único. No entanto, apesar das dificuldades em chegar à área contrária, os pupilos de Miguel Portugal nunca baixaram os braços e, com o avançar do relógio, acertaram as marcações.
Antes do intervalo, os homens do Pelariga estiveram perto do empate, quando Hugo Costa desferiu um pontapé do meio da rua que levou o esférico a embater na barra da baliza de Paulo Cerva.
A segunda metade do desafio começou com o segundo golo da EAS. Rafael Teixeira foi à linha de fundo e centrou para a pequena área onde o recém-entrado Marcos Cabral, de cabeça, desviou para o fundo da baliza.
Sem dar tempo para a reacção do adversário, os leões ‘mataram’ o jogo. Franklim Junior entrou decidido pelo meio da defesa contrária e, na cara de Rodrigo Rodrigues, levantou a cabeça e escolheu o lado, conseguindo um golo de belo efeito.
A perder por 3-0 com praticamente toda a segunda parte para jogar, a Pelariga refrescou o seu meio campo e alargou a sua frente de ataque. As alterações trouxeram mais agressividade ao jogo e ambas as equipas usufruíram de mais espaços, o que animou a partida.
A formação de Joaquim Trindade ainda podia ter ampliado por Pedro Rodrigues que, na pequena área, não executou de primeira. Por seu lado, a Pelariga, perto do final, enviou nova bola à barra na transformação de um lance de bola parada, executado por Rodrigo Gonçalves.
Já no período de compensação, Jony Marques fez o tento de honra da sua equipa. Entrou na área pela direita e, apertado por José Luís que ainda tocou no esférico, efectuou um remate forte que traiu Paulo Cerva.
Na sua generalidade, assistiu-se a um jogo bem arbitrado por Ricardo Carreira.|

EAS Marinha Grande 3
Paulo Cerva, José Luis, Gonçalo Vicente (c), Marcelo Gil (João Tavares, 74′), Rafael Flor (Marcos Cabral, 45′), Vitorino (Diogo Costa, 62′), Ivo Silvério (Gui Serrão, 45′), João Coutinho, Rafael Teixeira, Franklim Junior e Pedro Rodrigues.
Treinador: Joaquim Trindade.

GD Pelariga 1
Rodrigo Rodrigues, Marco, Diogo Nogueira, André Cavaco (João Pedro, 55′), Guilherme Silva (c), Rodrigo Carreira, Leandro Santos, José Carvalho (Miguel Silva, 55′), Tony Marques, Hugo Costa (João Barros, 68′) e Eusébio (Rodrigo Gonçalves, 69′). Não jogaram: Diogo Santos.
Treinador: Miguel Portugal.

Campo do Tojal, Picassinos
Árbitro: Ricardo Carreira. Assisten-tes: Henrique Ramos e João Santos.
Espectadores: 130. Intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Franklim Junior (32′, p.), 2-0 Marcos Cabral (46′), 3- 0 Franklim Junior (51′), 3-1 Jony Marques (90+3′).
Disciplina: Amarelo a Guilherme Silva (16′), Rafael Flor (33′), José Carvalho (61′), Franklim (75′), Rodrigo Carreira (78′), Gui Serrão (80′), João Coutinho (85′), Pedro Rodrigues (90+5′).

Texto: Paulo Daniel – Diário de Leiria
Foto: Carla Major