Vidreiros e GC Alcobaça – a ocuparem lugares opostos na tabela -, disputaram uma partida em que os visitantes tornaram fácil o que podia ser complicado, ao marcarem cedo e não poupando esforços na procura do golo.
Com uns minutos iniciais pautados pelo equilibro, o primeiro sinal de perigo foi dada pelos homens da casa, com Vilela a rematar para grande defesa de Rúben Lopes.
Do lado contrário a resposta foi mais eficaz. Num remate inofensivo de João Silva, João Cardoso abordou mal o lance, acabando por dar um enorme ‘frango’.
Depois foi Nascimento que, com um excelente remate, proporcionou magnífica defesa a Rúben Lopes.
Mais uma vez os visitantes foram letais e, na sequência de um canto, David Marques saltou mais alto que toda a gente e ampliou de cabeça (0-2).
Os pupilos de Marcoides não esmoreceram com os tentos sofridos e João Matos, numa bela iniciativa individual, atirou para defesa segura de Rúben Lopes.
Como quem não marca sofre, o Ginásio seguiu essa máxima à risca e chegou ao 0-3 numa jogada rápida, conduzida por Dady e finalizada por Ricky já dentro da área.
Sem abrandar o ritmo, apareceu novo golo para o Ginásio, com Pedro Rodrigues a finalizar com classe, num chapéu perfeito a João Cardoso, obtendo o golo da tarde.
Os anfitriões poderiam ter reduzido a desvantagem na sequência de um pontapé de penálti, mas, uma vez mais, Rúben Lopes confirmou o estatuto de melhor em campo, com uma grande estirada a negar o golo a Nascimento.
Na segunda parte, o Ginásio continuou a dominar e, ao minuto 57, Pedro Rodrigues serviu Dady, mas este não deu o melhor seguimento ao lance, cabeceando ao lado.
Do outro lado, Nascimento teve outra oportunidade de desfeitear Rúben Lopes em nova penalidade, mas o guardião alcobacense voltou a mostrar-se a grande altura.
Mais um vez os forasteiros mostraram um eficácia tremenda e numa bela jogada colectiva, David Marques, já dentro da área, empurrou para o 0-5.
Os golos passaram a surgir com naturalidade e à passagem do minuto 74, Daniel Oliveira teve grande arrancada pela direita, com um cruzamento largo ao segundo poste com André Taveira a emendar para o fundo da baliza.
Dady também fez o gosto ao pé ao concluir nova boa jogada de envolvimento dos homens de Filipe Faria (0-7).
Os números poderiam ter sido mais pesados, mas Daniel Oliveira também falhou da marca dos 11 metros, permitindo a defesa a João Cardoso, já no término do desafio.
Vitória sem discussão da melhor equipa em campo, perante uma arbitragem irregular, que errou na grande penalidade assinalada a favor do Alcobaça.|

GD Vidreiros 0
João Cardoso, Ricardo Carpinteiro, João Luís (c), Hugo Gaspar, Vasco João, Marco Azenha (Évora, 81’), João Matos, Gonçalo Ribeiro (Carlos Tiago, 60’), Nascimento, Rúben Coelho (Pastilhas, int.) e Vilela. Não jogaram: Pedro Duarte, Cláudio e Gonçalo Dias.
Treinador: Marcoides.

GC Alcobaça 7
Rúben Lopes, Daniel Oliveira, David Marques, Tiago Cerejo, Luís Gonçalves, Miguel Pinheiro (c) (BD,69’), João Silva, Pedro Domingues (Dinis Quitério, 80’), Leandro Gaspar (André Taveira, 69’), Ricky e Dady. Não jogaram: Ângelo, Serginho, Rui Rodrigues e Ruca.
Treinador: Filipe Faria.

Campo do Tojal, Picassinos
Árbitro: José Agostinho.
Espectadores: 130. Ao intervalo: 0-4.
Golos: 0-1 João Silva (10’), 0-2 David Marques (21’), 0-3 Ricky (37’), 0-4 Pedro Domingues (39’), 0-5 David Marques (65’), 0-6 André Taveira (74’), 0-7 Dady (88’).
Disciplina: Amarelo a Rúben Coelho (42’), Miguel Pinheiro (44’), David Marques (62’), João Silva (83’).

Texto e foto: Fábio Osório – Diário de Leiria