O cenário estava montado: quase 15 mil adeptos da UD Leiria preenchiam grande parte do estádio imbuídos num espírito de esperança e de confiança. Afinal a subida estava ali tão perto, a uma distância de 90 minutos. Por tudo isto, o ‘balde de água fria’ foi ainda mais ‘pesado’. Com o apito final do árbitro, o desânimo tomou conta dos adeptos, as lágrimas escorreram nas caras dos jogadores leirienses. Mais uma vez o sonho esfumou-se.
Apesar da desilusão, há uma coisa de que a UD Leiria se pode orgulhar: caiu de pé. Num ‘play-off’ duro e com equipas de grande qualidade, o emblema do Lis acabou por falhar o objectivo sem ter perdido qualquer jogo. É que o golo marcado fora pelo Mafra valeu por dois… e valeu a festa que a formação verde e amarela fez no final da partida junto dos cerca de 300 adeptos que viajaram até Leiria.
Num jogo sempre muito táctico e com poucas oportunidades de golo, foi sempre a UD Leiria a equipa que mais demonstrou estar perto da vitória. Mas o futebol não premeia a justiça, e sim a eficácia, e aí, a formação de Luís Freire foi de um cinismo letal para as hostes leirienses.
O jogo começou com ambas as equipas a apresentarem cautelas. Ainda assim, a primeira situação de real perigo surgiu pelos pés de João Vieira que rematou a centímetros do poste da baliza visitante. Na resposta foi o Mafra quem criou perigo com Hugo Ventosa, já dentro da área, a rematar pouco por cima do travessão de Wilson.
A partir daqui a UD Leiria foi mais dominadora, mas a boa estrutura defensiva dos visitantes foi dando conta do recado. A única excepção foi um lance em que Leandro Souza, em excelente posição dentro da área, acabou por rematar contra um adversário, ganhando apenas o canto.

Do céu ao inferno
Na segunda parte começou melhor o Mafra criando desde cedo uma excelente oportunidade para marcar com Leandro a servir Marcelo, mas o avançado, à boca da baliza, rematou por cima.
Do outro lado, a UD Leiria demonstrou outro tipo de argumentos. Um pouco contra a corrente do jogo, num lance de contra-ataque, Pepo isolou Leandro Souza que foi rasteirado por Godinho dentro da área, com o árbitro a apontar para o castigo máximo, num lance que não deixou dúvidas. Na cobrança, João Vieira ainda permitiu a defesa de Godinho, mas, na recarga, o mesmo jogador atirou de cabeça para o fundo das redes. Estava dada a primeira explosão de alegria no Municipal de Leiria.
O sonho dos jogadores e dos adeptos ganhava contornos cada vez mais reais, mas o pesadelo aidna estava por chegar. Na sequência de um canto, a defensiva da UD Leiria não conseguiu aliviar, com a bola a sobrar para Hugo Ventosa que atirou para o fundo das redes, com o esférico ainda a embater num defesa leiriense acabando por trair Wilson que nada podia fazer.
O golo do empate do Mafra teve o condão de silenciar o estádio, mas a UD Leiria tentou reagir fazendo-o mais com o coração do que a cabeça, pelo que foi uma presa fácil para um Mafra confiante e a cerrar os dentes.
Aproveitando a superioridade numérica, depois da expulsão de Kaká, foi mesmo o Mafra quem ficou mais perto do golo num remate de Mauro que obrigou Wilson a defesa apertada. Pouco depois foi Rodrigues quem tentou aproveitar o adiantamento do guardião leiriense para atirar a centímetros do poste. Eram os últimos ‘pozinhos’ de um resultado que já estava selado.
No final, a festa de quem subiu foi feita junto à bancada Sul onde estavam os adeptos do Mafra que – diga-se de passagem – foram incansáveis no apoio à sua equipa, proporcionando uma bonita festa. À UD Leiria resta o discurso do costume nestas ocasiões: para o ano é que é.|

UD LEIRIA   1
Wilson, Filipe Brigues, Naílson, Tony Correia, Kaká, Maks, Leonel Olímpio (c) (Ulisses, 78′), Pepo, Diaby (Adriano Castanheira, 83′), João Vieira (Ernest, 68′), Leandro Souza.
Não jogaram: Mika, Denis, Hernâni, Ernest, Sérgio Duarte.
Treinador: Rui Amorim.

CD MAFRA   1
Godinho, Hugo Ventosa, João Gomes, Juary, Guilherme, Rui Pereira, Lucas, Leandro (Serginho, 88′), Mauro, Marcelo (Rodrigues, 68′), Bruninho (Alisson, 78′).
Não jogaram: Raphael, Hugo Santos, M. Aurélio, Ruben.
Treinador: Luís Freire.

Estádio Municipal de Leiria
Árbitro: Ricardo Moreira (Vila Real). Assistentes: Paulo Nogueira  e Sérgio Correia.
Espectadores: 14 798.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 João Vieira (52′), 1-1 Hugo Ventosa (73′).
Disciplina: Amarelo a Ernest (82′). Vermelho directo a Kaká (80′).

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito