O Caldas foi a equipa sensação da Taça de Portugal e por pouco não chegou à final do Jamor. A equipa do Campeonato de Portugal caiu perante o Desp. Aves na meia final, mas na Mata do Jamor, o Maisfutebol encontrou alguns representantes da equipa.
No meio dos adeptos do Sporting «passeavam» camisolas do Caldas. Com o símbolo ao peito, Jorge Reis, presidente do emblema da Região Oeste (à direita na foto), revelou que é uma experiência agridoce estar na festa da final.
«Estar aqui neste ambiente traz um sentimento de frustração, mas também de orgulho por termos chegado às meias finais», confessou, admitindo que, ao ver não consegue «evitar um sentimento de perda» por o Caldas não ter conseguido marcar presença na final.
Jorge Reis disse ainda que, se o Caldas tivesse vindo à final, os jogadores tinham almoçado na mata com os adeptos».
Durante a semana os elementos da direção conseguiram 20 bilhetes e vieram com as famílias, mas Jorge Reis lamenta que não tenham sido disponibilizados bilhetes ao clube e, por isso, «infelizmente os jogadores não puderam vir».
Questionado sobre se esta presença na final o faz ver o Caldas no relvado do Jamor, Jorge Reis admite: «É muito difícil até porque a meia final é a duas mãos», mas reconhece, «se me dissessem há uns tempos que o Caldas ia estar às portas do Jamor, dizia que era impensável, por isso agora existe alguma ansiedade relativamente à próxima temporada e à próxima edição da Taça».

Mais Futebol