O FC Porto hipotecou as ténues esperanças que ainda tinha na conquista do título ao ceder um empate (1-1) diante da UD Leiria, num jogo em que a vitória podia ter recaído para qualquer uma das equipas. Com este resultado os leirienses registam a melhor prestação de sempre numa fase final da 1.ª divisão nacional de juniores, ao somar 13 pontos.
O jogo começou morno, com o FC Porto a querer tomar as rédeas da partida, perante uma UD Leiria à sua imagem, ou seja, excpectante mas sempre de olho na baliza adversária em transições rápidas.
Assim, a primeira oportunidade de golo pertenceu mesmo à UD Leiria após uma excelente jogada de combinação que deixou Lucas Reis na cara do golo, mas o avançado acertou mal na bola, permitindo a defesa fácil de Mário Évora.
Só depois da meia hora de jogo é que o FC Porto criou uma real oportunidade de golo com Júnior Maleck a tirar um adversário da frente com um toque de classe, mas, na cara de Leo, permitiu uma grande defesa ao guardião da casa.
Contudo, na sequência do canto, Maleck voltou a ver Leo a tirar-lhe um golo certo, mas, na recarga, o central Diogo Bessa atirou para o fundo das redes, colocando os dragões na frente do marcador.
Na segunda parte começou melhor a UD Leiria ao chegar cedo ao empate, numa boa combinação da turma da casa que culminou com Heli a ficar isolado, atirando depois sem hipóteses para Mário Évora.
O FC Porto ressentiu-se muito do golo sofrido e, pouco depois, a UD Leiria podia mesmo ter virado o resultado, mas o guardião visitante impediu que Renato Alexandre fosse feliz.
Insatisfeito com o desenrolar dos acontecimentos, o técnico dos dragões operou várias alterações ao seu xadrez e foi mesmo a entrada em campo de Kuku Fidelis que veio melhor com o jogo. Os leirienses começavam a ressenti-se do esforço, com o FC Porto a aproveitar para assentar arreias no seu meio-campo ofensivo.
Assim, depois de Heli ter atirado uma ‘bomba’ a centímetros do poste, o FC Porto respondeu com Kuku Fidelis a acertar em cheio no ferro da baliza leiriense.
A partir daqui foi um festival de desperdício dos visitantes, com Leo, entre os postes, a mostrar-se sempre muito seguro, cotando-se como o melhor homem em campo e ajudando a UD Leiria a segurar o empate.
Boa arbitragem.|

UD Leiria 1
Leo, Daniel Gregório, Diogo Vieira, André Amores, Francisco Pacheco, Heli, Pedro Luís, Henrique Santos (Lucumi, 83′), Lucas Reis (Mantorras, 71′), Tomás Dionísio (Ari, 62′), Renato Alexandre (c). Não jogaram: Ovsyannikov, Celso Vieira, Tiago Claro, Marandici.
Treinador: Tiago Vicente.

FC Porto 1
Mário Évora, Mamadu Lamba, Pedro Justiniano, Fábio Borges (Paulo Estrela, 60′), Diogo Bessa, João Lameira (c), João Mário, Fábio Vieira (Vítor Ferreira, 70′), Miguel Magalhães (Kuku Fidelis, 60′), Tiago Lopes, Júnior Maleck. Não jogaram: Ricardo Silva, Ruben Rosário, Usalifa Indi, Vasco Paciência.
Treinador: José Brandão.

Campo da Mata, Santa Eufémia
Árbitro: Nuno Roque (AF Coimbra).
Espectadores: 300. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Diogo Bessa (35′), 1-1 Heli (50′).
Disciplina: Nada a registar.

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: DR