Numa final equilibrada em que nenhuma das equipas merecia perder, o jogo apenas se resolveu na marcação de grandes penalidades. Aí, o Vieirense foi mais eficaz e Rúben Cabral mostrou uma vez mais ser um especialista na matéria.
Tal como é próprio das finais, o jogo começou numa toada morna, e com as duas equipas a procurarem não arriscar em demasia e a jogar no erro do adversário. Apesar do equilíbrio, o Vieirense foi paulatinamente ganhando algum domínio e, aos 7′, João Reis teve uma boa ocasião, mas a recepção não foi a melhor e o lance acabou nas mãos de João Lopes.
O Vieirense, nesta fase, era mais objectivo em termos atacantes e, aos 28′, Duarte Ribeiro dispôs de um bom lance, mas acabou por se precipitar, e rematou de muito longe, quando poderia ter tentado uma maior aproximação à baliza de João Lopes.
Apesar deste lance, o GRAP já tinha voltado a equilibrar o jogo e, mesmo em cima do intervalo, Gabriel ganhou na insistência e, com um remate oportuno, obrigou Rúben Cabral a uma defesa bastante difícil para canto.
E se a etapa inicial tinha sido marcada pelo equilíbrio, na segunda parte manteve-se a mesma fórmula, com as equipas encaixadas e com as defesas sempre a superiorizarem-se aos ataques. Apesar disso, nota para dois lances de muito perigo, um para cada equipa. Primeiro, foi Rúben Ferreira que teve um potente remate de muito longe, com João Lopes a fazer uma excelente defesa, com a bola ainda a bater na barra da baliza do GRAP. Praticamente na resposta, jogada de insistência de Rodrigo Monteiro na esquerda, que conseguiu o cruzamento e com Diogo a salvar em cima da linha o que poderia ser o golo do GRAP.
Apesar destes lances, o nulo não se alteraria e o jogo teria que ser mesmo decidido na marcação de grandes penalidades. Aí, o Vieirense conseguiu ser mais eficaz e acabou por vencer por 3-1, com Rúben Cabral a mostrar uma vez mais ser um especialista na defesa de remates dos 11 metros.
Quanto à arbitragem de Joana Rodrigues, há dúvidas numa possível mão dentro da área do Vieirense, de resto, pequenos erros sem qualquer influência no marcador. |

ID Vieirense 0*
Rúben Cabral, António, Diogo, Eduardo, Rolo, Rúben Ferreira, Duarte Ribeiro (c), Ivo Ferreira, Rodrigo Fonseca, Rúben Matias, João Reis (Bruno, 32′).
Treinador: Luís Montenegro.

GRAP 0*
João Lopes, João Mamede, Manuel Deus (c), Renato Sousa, João Oliveira, João Santos, Rodrigo Marques (Duarte Gomes, 50′), Afonso Luz (Rodrigo Monteiro, 61′), Gabriel Dantas, Mateus Carreira, Nicolau Nogueira (Bernardo Pires, 61′). Não jogaram: Simão Pereira, Ian Santos, Diogo Luís, Pedro Fernandes.
Treinador: Luiz Stukas.

Campo do Outeiro, na Maceirinha
Árbitro: Joana Rodrigues. Assistentes: José Oliveira e Rúben Anjos.
Espectadores: 220.
Disciplina: Amarelo a Duarte Gomes (52′), Bruno Ferreira (66′).
* Grandes penalidades: 3-1

Texto: Pedro Almeida – Diário de Leiria
Foto: DR