O Diário de Leiria volta a fazer a eleição daquele que considera ser o melhor onze da Divisão de Honra na época 2017/2018.
Confira os jogadores que mais se destacaram nas suas respectivas posições ao longo da temporada. Veja também o banco de suplentes de ‘luxo’, com opções para todos os gostos, para além do melhor treinador e o jogador revelação da época

Eleger o melhor onze nunca é fácil e é sempre susceptível de criar divergências. Contudo, desta vez o Diário de Leiria pediu a opinião a vários treinadores da Divisão de Honra, para além dos colaboradores desportivo do jornal, dando origem assim a uma escolha mais ‘democrática’. No lote de eleitos da época 2017/18, o destaque, claro está, vai para os jogadores do GD Peniche que dominam o ‘onze’ muito por força do título de campeão distrital conquistado. Em relação à época transacta, apenas Ricardo Carvalho repete a presença no lote dos melhores. Confira então o melhor onze (mais suplentes).melhor-onze

Mocheco (GRAP)
Se o GRAP foi a defesa menos batido da Divisão de Honra, muito o deve a João Monteiro, mais conhecido por Mocheco. O guarda-redes de 24 anos teve uma época de grande afirmação ao serviço da formação dos Pousos, mostrando segurança entre os postes e reflexos apurados, tendo sido determinante em vários jogos.

Paulo Brites (GD Peniche)
O lateral direito Paulo Brites realizou uma época ao mais alto nível. Muito forte e seguro a defender, nunca abdicou de ajudar no processo ofensivo do GD Peniche. Natural da Nazaré, Paulo Brites mostrou ser um lateral completo, empregando sempre grande intensidade nas suas acções. Uma época de afirmação para o jovem de 23 anos.

Pedro Gaio (ACR Maceirinha)
Com apenas 20 anos, Pedro Gaio surpreendeu tudo e todos com uma época muito regular, pautando-se como o esteio da defesa da sua equipa. Depois de ter feito a sua formação na UD Leiria e SL Marinha, Pedro Gaio brilhou esta época na ACR Maceirinha ao ponto de ter justificado a contração por parte do Caldas para a próxima temporada. Uma aposta segura num jovem com grande potencial.

Miguel Duarte (GD Peniche)
Outro jovem talento que despontou este ano nos relvados do distrito. Depois de ter representado o SCU Torreense e o Atl. Malveira, Migas – como é conhecido – assinou uma época de excelência no campeão distrital, afirmando-se com autoridade no eixo defensivo com apenas 21 anos. Para além da segurança e maturidade a nível defensivo, Miguel Duarte foi também determinante ao marcar vários golos, fazendo uso da sua compleição física.

Rafael Ramalho (Beneditense)
Aos 24 anos, Rafael Ramalho mostrou que está na plenitude da sua forma, justificando até outros voos. O lateral esquerdo do Beneditense compensa algumas lacunas a defender com extraordinária qualidade no apoio ao processo ofensivo, tendo sido determinante com várias assistências. O triunfo na final da Taça do distrito foi uma justa recompensa para um lateral que fez uma época pautada pela regularidade e qualidade.

Luís Pinto (GD Peniche)
São poucos as palavras para adjectivar a época de Luís Pinto. O capitão do GD Peniche é um daqueles jogadores que não engana. Qualidade de passe, excelente posicionamento e grande intensidade são os maiores predicados do médio defensivo que mostrou esta época ser um jogador de elite. Um verdadeiro líder que tem Peniche no coração.

Amar Boissy  (GD Peniche)
O médio centro do GD Peniche realizou uma época ao mais alto nível. Aos 31 anos, o guineense foi um dos jogadores que mais se notabilizou esta época pela regularidade e inteligência dentro das quatro linhas, tendo sido um pêndulo no campeão distrital. Dos seus pés a bola sai sempre ‘redonda’ e sabe ocupar os espaços como ninguém.

Ricardo Carvalho (GRAP)
O médio centro da formação dos Pousos repete a presença no melhor onze do ano. Se o GRAP realizou uma época acima de todas as expectativas, muito se deve a Ricardo Carvalho que através da sua qualidade de passe, intensidade, capacidade de pressão e de aparecer na área contrária para marcar golos tornou-se uma referência do novo futebol. Aos 26 anos está melhor que nunca.

Frederico Martins (GD Peniche)
O extremo direito do GD Peniche realizou uma época de grande fulgor ao registar vários golos e ainda mais assistências, ajudando – e de que maneira – para que a sua equipa fosse campeã distrital. Aos 22 anos, Fred mostrou que tem futebol para outros patamares, fazendo uso da sua velocidade, inteligência e qualidade de passe.

Pedro Faustino (SCL Marrazes)
Depois de ter registado uma boa época ao serviço do SC Pombal, Pedro Faustino voltou a mostrar-se ao mais alto nível esta época, desta vez ao serviço do SCL Marrazes. Irreverência, qualidade de passe e velocidade são as melhores características do extremo de 25 anos que é cada vez mais uma certeza no futebol distrital, justificando até outros voos. Um talento sem paralelo que merece ser seguido com atenção.

Tiago Ferreira (GD Peniche)
Tiago Ferreira não é um ponta de lança puro. É mais um número 10 que gosta de aparecer na área, contudo, esta época jogou muitas vezes como homem mais adiantado na formação de Peniche e deu-se bem, ao marcar muitos golos, ajudando a sua equipa a ser a mais concretizadora do campeonato. O ‘hat-trick’ assinado na Supertaça distrital foi só a cereja no topo do bolo para uma época de grande nível do avançado de 28 anos.

MELHOR TREINADOR

Carlos Ribeiro (GRAP)
É verdade que Vítor Martins, treinador do Peniche, foi campeão e venceu a Supertaça, pelo que seria também merecedor da eleição de melhor treinador. Mas a equipa sensação da Divisão de Honra foi mesmo o GRAP orientado por Carlos Ribeiro. Esteve a breves segundos de ser campeão, acabando a competição com a defesa menos batida e a equipa com menos derrotas, tendo feito toda a segunda volta da competição sem averbar qualquer desaire. Bravo.

JOGADOR REVELAÇÃO

Pedro Henriques (GRAP)
Depois de uma época sem grande história no CD Fátima, Pê surgiu no GRAP surpreendendo tudo e todos com boas exibições, assistências e golos, muitos deles decisivos. Pegou de estaca na equipa e aos 20 anos terá um futuro brilhante pela frente.

Texto: José Roque – Diário de Leiria