Foi um jogador natural de Caldas da Rainha a decidir o clássico a favor da UD Leiria. Pepo, jovem médio que começou a jogar futebol precisamente no Caldas SC, garantiu os três pontos para a formação leiriense, numa ‘traição’ a que o próprio jogador pediu desculpa assim que marcou o único golo da partida.
Num jogo sempre marcado pela grande rivalidade e com forte presença de público nas bancadas, a UD Leiria acabou por justificar a vitória, fruto de uma primeira parte absolutamente dominadora, perante um Caldas que só conseguiu dar um ar da sua graça na segunda parte, mas sem efeitos práticos.
A UD Leiria começou o jogo a dominar e a criar perigo quando Ernest, em velocidade, ultrapassou Juvenal, mas na cara de Luís Paulo rematou para defesa do guarda-redes caldenses. Estava dado o primeiro aviso.
Pouco depois surgiu mesmo o golo dos homens da casa na sequência de um cruzamento para a área onde apareceu Pe­po, solto de marcação, a rematar enrolado, com Luís Paulo a deixar escapar a bola por entre as mãos, ficando mal na fotografia.
Em desvantagem, o Caldas não conseguiu reagir, com os leirienses a continuarem a dominar o jogo e a criarem perigo. Exemplo disso mesmo foi quando João Vieira pegou na bola, passou por vários adversários – contando com alguma sorte nos ressaltos -, mas quando o avançado se preparava para rematar, um defesa visitante conseguiu um corte milagroso, a evitar um golo que parecia certo.
Só a partir dos 25 minutos é que o Caldas conseguiu esticar mais o seu jogo, mas foi Sol de pouca dura, já que a UD Leiria continuava a ser sempre a equipa mais perigosa, com Luís Paulo a mostrar-se seguro entre os postes e a evitar males maiores, levando o Caldas com a desvantagem mínimo para o intervalo.
Na segunda parte, o jogo foi bem mais equilibrado. Aliás, o Caldas passou a assumir mais o jogo, perante uma UD Leiria a jogar mais na expectativa. Ainda assim, a turma de José Vala nunca conseguiu criar real perigo para a baliza de Wilson, e nem as mexidas do técnico José Vala – alto tardias – vieram acrescentar algo de positivo ao futebol caldense.
Do outro lado, a exibição dos leirienses caiu a pique no segundo tempo, e nem parecia a equipa que tinha encostado às cordas o seu adversário nos primeiros 25 minutos. Ainda assim, em termos defensivos os leirienses foram sempre muito ‘certinhos’ e foi mesmo a formação da casa a criar a melhor oportunidade de golo quando Ulisses desperdiçou um remate na zona do penálti depois de ter sido servido de bandeja por Fabrice Kah.
Nos últimos minutos, o Caldas tentou de bola parada e através de cruzamentos para a área chegar ao golo do empate, mas o último reduto leiriense mostrou-se sempre à altura das circunstâncias, garantindo a conquista de três preciosos pontos.
Arbitragem com alguns lapsos menores, mas sem influência no resultado. |

UD Leiria 1
Wilson (c), João Dias, Bruno Miguel, Nailson, Tiago Cerveira, Olimpio, Ulisses Oliveira, Pepo (João Caminata, 89′), Ernest (Maks, 83′, Carlos Daniel (Fabrice Kah, 72′), João Vieira.
Não jogaram: Ricardo Campos, João Miguel, Denis, Renato Alexandre.
Treinador: Tiago Vicente.

Caldas SC 0
Luís Paulo, Juvenal, Militão, Pedro Gaio, Cascão, Paulo Inácio, André Simões, André Santos (Rafael Silveira, 86′), Luís Farinha (Nuno Januário, 89′), Ricardo Isabelinha (Iuri Gomes, 69′), Leandro.
Não jogaram: Rui Oliveira, Rui Almeida, Marcelo Santos, Flávio Passos.
Treinador: José Vala.

Estádio Municipal de Leiria
Árbitro: Bruno Rebocho (AF Lisboa). Assistentes: Vítor Aires e Cláudio Correia. Espectadores: 2.000.
Ao intervalo: 1-0. Golos: 1-0 Pepo (11′). Disciplina: Amarelo a Carlos Daniel (65′), André Santos (77′), Pepo (78′), Nailson (90+3′).

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luis FIlipe COito