O Oleiros arrancou um ponto nas Caldas da Rainha após uma hora a jogar com menos um jogador. A formação comandada por Natan Costa entrou melhor e marcou primeiro, não conseguiu evitar a reviravolta, mas teve força anímica para ir buscar o empate a 13 minutos do fim.
Começou melhor a equipa visitante, que não só foi capaz de suster a entrada forte do Caldas, como rapidamente conseguiu criar situações para se colocar em vantagem no marcador. Apoiada numa boa estrutura defensiva, o Oleiros rapidamente conseguia colocar a bola na frente. Na segunda vaga de um canto, Fábio Gaião colocou na área do Caldas, Militão tentou o corte, mas a bola acabou dentro da baliza (0-1).
O Caldas procurou reagir, mas o Oleiros conseguia segurar o ímpeto, cometendo algumas faltas que resultaram em cartões amarelos. Foram três no espaço de seis minutos, dois deles para Ivan Silva, que recebeu ordem de expulsão com uma hora ainda para jogar.
Em superioridade numérica, o Caldas intensificou a pressão, mas sem resultados práticos até ao minuto 43, quando uma entrada de Passos pela direita, com André Farinha na pressão, acabou com o lateral do Caldas no chão e Luís Reforço a apitar para a marca de 11 metros. Rafael Silveira foi chamado a converter, mas acertou na barra.
Contudo, três minutos depois o avançado brasileiro foi para o chão no contacto com Luís Pedro que saiu da baliza para afastar a soco uma bola longa colocada na área. Nova grande penalidade que, desta vez, resultou mesmo em golo, com Rafael Silveira a não facilitar (1-1).
Na segunda parte, o Oleiros fez por aguentar o empate, colocando duas linhas de quatro jogadores muito próximas a fechar os caminhos para a sua área, mantendo apenas Rafael Victor na frente.
O Caldas não conseguia criar espaços entre linhas, mas expunha os visitantes a uma pressão intensa, que acabou por dar frutos ao minuto 71, quando Farinha cruzou para a área e Silveira desviou ao primeiro poste para fazer o 2-1.
Na resposta, o técnico Natan Costa ‘sacudiu’ a equipa com uma dupla alteração que teve efeitos imediatos. O Oleiros subiu, aumentou a velocidade do seu jogo e fez o empate. O defesa Mamadu Djaló estava no ataque após um lançamento lateral colocado na área, André Farinha insistiu pela esquerda e fez um passe atrasado para a finalização do central.
Com um ponto na mão, o Oleiros voltou a formar um bloco coeso na defesa da sua baliza e conquistou um ponto saboroso. |

Caldas SC 2
Luís Paulo; Passos, Militão, Rui Almeida (c) e Luís Farinha; Paulo Inácio (Nuno Januário, 80’), André Santos e André Simões; Leandro (Marcelo, 86’), Rafael Silveira e Hugo Neto (Ednilson, 64’).
Não jogaram: Rui Oliveira, Gaio, Bernardo Rodrigues, Passuco.
Treinador: José Vala.

ARC Oleiros 2
Luís Pedro (c); André Farinha, Mamadu Djaló, Fábio Gaião, Tiago Gomes e Ivan Silva; Guilherme Campos e Jimmy (Vilmar, 74’); Ivan Fidalgo (Tak Teuin, 74’), Rafael Victor e Bruno Carvalho (Michael Santos, 65’).
Não jogaram: Luís Serra, Rildo, Telmo Garcias, Whittaker e Vilmar.
Treinador: Natan Costa.

Campo da Mata, Caldas da Rainha
Árbitro: Luís Reforço (AF Setúbal).
Assistentes: Mauro Santos e Luís Vaz.
Ao intervalo: 1-1.
Golos: 0-1 Militão (23′, p.b.), 1-1 Rafael Silveira (45+2’, p.), 2-1 Rafael Silveira (71’), 2-2 Mamadu Djaló (77’).
Disciplina: Amarelo a Ivan Silva (26′ e 32’), Jimmy (28′), André Farinha (43′), Farinha (46’). Vermelho por acumulação a Ivan Silva (32′).

Texto e foto: Joel Ribeiro – Diário de Leiria