O Marrazes regressou aos triunfos após uma série de sete jogos sem conhecer o sabor da vitória, frente a um Boavista que vinha moralizado pela conquista dos três pontos na última jornada fora de portas (Ansião), mas que foi impotente para um Marrazes que se superiorizou especialmente na segunda parte, com os avançados a serem os marcadores de serviço.
Numa primeira parte não muito bem jogada, foi preciso uma falha defensiva para Wilson Oliveira quase aproveitar para abrir o activo, mas o seu remate cruzado saiu a centímetros do poste marrazense.
Na resposta, foi Miguel Carvalho a finalizar mal uma bela jogada sobre a esquerda. Depois foi Nelson Brites, na sequência de um livre lateral, a desviar de cabeça, mas ligeiramente por cima.
Os visitantes tentavam responder através de passes a rasgar para os seus rápidos atacantes, mas estes não davam a consequência desejada, ora por acerto defensivo dos homens da casa ou pecavam na hora de finalizar.
Ao minuto 43, a grande oportunidade da primeira etapa, com Miguel Carvalho, com um passe ‘açucarado’ a isolar Yassine, mas este, à saída de Rui Lopes, atirou incrivelmente ao lado, levando o nulo até ao intervalo.
O reatamento não poderia ter começado melhor para os donos da casa, já que logo no primeiro minuto chegaram ao golo, com Tiago Clemente a roubar um bola a meio-campo e a protagonizar magnífica iniciativa pela esquerda, ultrapassando dois adversários para depois cruzar para Miguel Carvalho, que de primeira e à meia-volta assinou um excelente golo.
Os forasteiros despertaram e poderiam ter chegado à igualdade minutos depois, mas Tiago Gordalina foi enorme ao defender remate de Lukas Fonseca, após falha comprometedora de João André (55’).
Do lado contrário, foi Marcelo Carvalho a assistir com precisão Yassine, mas este cabeceou ao poste.
Corolário do ascendente mar­razense o 2-0 surgiu com naturalidade, quando André Oliveira cruzou para a área e Miguel Carvalho, experiente, a antecipar-se aos centrais que ficaram parados e finalizou, fazendo o segundo da sua equipa e da conta pessoal.
Yassine, em dia não no que respeito à finalização, teve nova chance para colocar o seu nome nos marcadores, após falha defensiva dos boavisteiros, ficando isolado, mas atirou por cima.
Quem não perdoou foi Nuno Joaquim que, recém-entrado no desafio, teve um bom movimento dentro da área e com um forte remate fuzilou para um belo golo, fechando a contagem nuns claros 3-0, resultado que penaliza a Boavista que nunca se escondeu do jogo, mas o Marrazes foi efectivamente superior, acabando por justificar a vitória expressiva.
Arbitragem irregular apesar de não ter tido influência no resultado. |

SCL Marrazes 3
Tiago Gordalina, Tiaguinho, João André, Portugal, Renato (André Oliveira, 60’), Chiquinho (Élvis, 86’), Nelson Brites, Tiago Clemente, Marcelo Carvalho, Yassine e Miguel carvalho (Nuno Joaquim, 77’). Não jogaram: Marcelo Sousa, Zimas, PS e Conca. Treinador: Antero Pinho.

GDR Boavista 0
Rui Lopes, Gregório, André Amores, Tiago Oliveira (c), Pedro Roda, Mosca (Luiz Sousa, 69’), Wilson Oliveira, João Capão (Igor Sousa, 63’), Lukas Fonseca (Francisco Reis, 63’), Celso Pereira e Diogo António. Não jogaram: Palecas, Nuno Filipe, Ary e Miguel Oliveira.
Treinador: Pedro Nunes.

Aldeia dos Desportos, em Marrazes.
Árbitro: Jorge Carreira. Assistentes: Gonçalo Lopes Tomé Pires.
Espectadores: 155.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 Miguel Carvalho (46’), 2-0 Miguel Carvalho (75’), 3-0 Nuno Joaquim (83’). Disciplina: Amarelo a Mosca (40’), João André (65’), Yassine (65’), Portugal (82’).

Texto e foto: Fábio Osório – Diário de Leiria