A UD Leiria regressou às vitórias, depois de dois desaires consecutivos, ao vencer o Torreense por 2-1, num jogo em que os leirienses pareciam ter os três pontos no bolso ao intervalo, mas uma boa reacção dos visitantes tornou o resultado incerto até ao apito final.
Desde cedo que se percebeu como iria ser o jogo, com a UD Leiria a tomar a iniciativa da partida, perante um Torreense muito fechado no seu meio-campo defensivo, para tentar explorar o contra-ataque.
Assim, a UD Leiria sentia algumas dificuldades para entrar na muralha do adversário, e só o conseguiu à bomba, com Naílson a disferir um remate à entrada da área que só parou no fundo das redes. Estava aberto o activo para alegria dos muitos adeptos leirienses nas bancadas.
O Torreense pareceu ter sentido em demasia o golo sofrido e, pouco depois, a UD Leiria voltou a ameaçar o golo. Na cobrança de um livre em que todos pensavam que Pepo iria colocar a bola na área, o médio surpreendeu ao atirar directo acertando no poste da baliza de Nuno Hidalgo que parecia batido.
Com o Torreense a não conseguir apresentar argumentos para incomodar a UD Leiria, foi mesmo a equipa da casa quem dilatou a vantagem num lance que começou num pontapé de baliza de Valerio, com Onyeka a ‘pentear’ de cabeça e a servir Fabrice Kah que ganhou em velocidade ao seu opositor, ficando isolado na cara de Nuno Hidalgo para atirar para o 2-0.
O Torreense só conseguiu criar perigo perto do intervalo, na sequência de um canto, em que Hélio Vaz, já dentro da pequena área e em excelente posição para marcar, permitiu uma grande defesa de Valerio com os pés.
Na segunda parte pensava-
-se que o jogo seguisse o mes­mo paradigma dos primeiros 45 minutos, mas foi puro engano. Desde logo porque o Torreense entrou a todo o gás, conseguindo reduzir a diferença no marcador. Na cobrança de um livre para a área por parte de Burguette, o ‘pequeno’ Tiago Esgaio superiorizou-se à defesa leiriense e cabeceou para o fundo das redes (2-1). Estavam lançados os dados para um segundo tempo intenso e de incerteza no resultado.
O golo deu o mote para um Torreense transfigurado para melhor, bem mais atrevido em termos ofensivos e exemplo disso mesmo foi o remate em arco de Hélio Vaz que passou a centímetros do poste da baliza leiriense.
Nesta fase, o melhor que a UD Leiria conseguiu fazer foi uma transição levada a cabo por Fabrice Kah que serviu o colega Ernest, mas o avançado, em boa posição, atirou muito torto. Apesar de tudo o jogo parecia muito ‘amarrado’ a meio-campo, sem que nenhuma das equipas conseguisse ter arte e engenho para desatar o nó.
Nos últimos minutos, o Torreense colocou vários homens na frente de ataque e bombeou diversas bolas para a área, mas a defesa leiriense superiorizou-se em todos os lances com maior ou menor dificuldade. Por outro lado, a UD Leiria tinha mais espaço para contra-atacar, mas a verdade é que a definição dos lances nunca foi a mais correcta pelos que as jogadas de perigo perdiam-se invariavelmente no último terço.
Arbitragem sem grandes reparos do árbitro de Aveiro. |

UD Leiria 2
Valerio, João Dias (c), João Miguel, Nailson, Tiago Cerveira, Helinho, Pepo, Carlos Daniel (Renato, 90+1′), Fabrice Kah (Denis, 85′) , Onyeka (Caminata, 76′), Ernest.
Não jogaram: Wilson, Anilton, Nikolaesh, Rukas.
Treinador: Filipe Cândido.

Torreense 1
Nuno Hidalgo, Tomás Silva (Aldair, int.), Fábio Santos (c), Danilson, Burguette, Serifo Djaló (Camará, 84′), Tiago Esgaio, André Perre, Leandro Morais, Hélio Vaz, Zhang Cheng (Pedro Bonifácio, 66′).
Não jogaram: João Ascenso, Tomás Jorge, João Martinho, Bruno Sales.
Treinador: Rui Narciso.

Estádio Municipal de Leiria
Árbitro: Marco Ferreira (AF Aveiro).
Espectadores: 2.500.
Ao intervalo: 2-0.
Golos: 1-0 Nailson (18′), 2-0 Fabrice Kah (33′), 2-1 Tiago Esgaio (47′).
Disciplina: Amarelo a Nailson (46′) e Danielson (55′).

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito