Num jogo mais equilibrado do que o resultado parece fazer crer, o GRAP foi globalmente melhor e justificou em pleno a vitória (4-1), embora por números algo pesados.
O jogo começou num ritmo intenso e cedo o Ansião ficou muito perto do golo: desentendimento defensivo do GRAP, com a bola a sobrar para Dembele que, algo surpreendido com tamanha oferta, acabou por desperdiçar uma ocasião flagrante.
Pouco depois, o mesmo jogador ganhou a Lomba, mas na cara de mocheco permitiu a defesa do guardião.
Aos poucos o GRAP conseguir recompor-se e deu o primeiro ar da sua graça quando Vieirinha rematou forte, mas ao lado da baliza de Pesca. Na resposta, boa assistência de Dembele para Fernandinho rematar perigoso, mas também ao lado. O jogo estava bom de se seguir, e pouco depois, Francisco Reis, após cruzamento de Vieirinha, ficou perto de marcar, valendo uma defesa quase por instinto de Pesca.
O GRAP, nesta fase, estava ligeiramente por cima do jogo e chegou mesmo ao golo após passe longo de Pedro Domingues, com Dany Marques a ficar na cara de Pesca para fazer o 1-0. Em desvantagem, o Ansião respondeu quase de imediato, com Dembele, com tudo para fazer o golo, a permitir a defesa a Mocheco.
Depois de uma boa primeira parte, a etapa complementar foi mais desinteressante, com o jogo a ter mais paragens e a não ter a intensidade inicial.
O GRAP foi procurando gerir a vantagem, correndo menos riscos e procurando o espaço nas costas da defensiva do Ansião, que estava mais obrigado a correr alguns riscos.
Foi assim que surgiu o 2-0 com Vieirinha a ganhar em velocidade e, à entrada da área, a rematar forte para o golo. O Ansião sentiu – e de que maneira – o golo e, em menos de 10 minutos, sofreu mais dois golos, ambos por Dany Marques, com o avançado a mostrar grande oportunismo (4-0).
Com o jogo decidido, em cima do apito final, houve novo duelo entre Dembele e Mocheco, mas desta vez o avançado do Ansião foi finalmente capaz de se superiorizar, fazendo o 4-1 final.
Arbitragem tranquila do trio comandado por José Agostinho, sem qualquer influência no resultado, ainda que não isenta de pequenos erros.
Apenas um lance mais complicado, num golo anulado a Dembele por posição irregular e que deixou algumas dúvidas.|

GRAP 4
Mocheco, Lagoa, Lomba (c), Fábio Martins, Lucas, Migas, Luisito (Pedro Manso, 87′), Vieirinha, Dany Marques (Gabriel, 82′), Pedro Domingues, Francisco Reis (Cédric, 67′).
Não jogaram: Rui, André Amores, Benny.
Treinador: Marco Aurélio.

CC Ansião 1
Pesca, Vítor (Jorge, 75′), Kamará, Comboio, Gabriel Lemos, Koné (c), Diogo Ribeiro, Normando (Rui Castela, int.), Ceará, Fernandinho (Alexandre, 78′), Dembele.
Não jogaram: Simão, Pedro, Joel, Nelson.
Treinador: Ricardo Silva.

Campo da Charneca, nos Pousos
Árbitro: José Agostinho.
Assistentes: Marco Marques e Diogo Oliveira.
Espectadores: 200
Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Dany Marques (37′), 2-0 Vieirinha (65′), 3-0 Dany Marques (72′), 4-0 Dany Marques (78′), 4-1 Dembele (90′).
Disciplina: Amarelo a Normando (32′), Fábio Martins (32′), Fernandinho (50′), Vítor (52′), Koné (89′).

Texto e foto: Pedro Almeida – Diário de Leiria