Peniche e Alcobaça defrontaram-se na esperança de desfazer a igualdade pontual entre ambos e foi com esse intuito que os penichenses entraram em campo, dominando a partida, fazendo uma excelente circulação de bola e, assim, foram colocando em apuros a defensiva alcobacense que demonstrava bastantes dificuldades em suster as investidas do Peniche.

Numa jogada colectiva brilhante, o Peniche chegou ao golo com Paulinho a cruzar para o segundo poste onde apareceu Marinho a desviar para o fundo da baliza.

Com este golo, o Peniche manteve a toada e Ricardinho, Grincho e Paulinho revelaram–se autênticos quebra-cabeças para a defensiva contrária que tentava parar como podia as trocas da linha avançada penichense que, até ao intervalo, teve três situações claras de golo.

Na segunda parte esperava–se um Alcobaça mais acutilante no ataque para tentar anular a desvantagem, mas a toada do jogo manteve-se: o Peniche foi dominando e criava boas situações de finalização que eram desaproveitadas pelos seus jogadores.

Com o passar do tempo, o treinador alcobacense alterou a estratégia e passou a jogar um futebol mais directo para os seus dois avançados. O Peniche adaptou-se bem a esta mudança e aproveitou os espaços dados nas costas da defesa, com Motinha e Paulinho a aparecerem por duas vezes isolados, mas a não conseguirem fazer o golo.

Foi já no período de compensação que Tiago Ferreira teve nos pés uma soberana oportunidade para ampliar a vantagem, mas no lance seguinte aplicou-se a máxima do futebol: quem não marca sofre. Após uma boa jogada individual pelo corredor esquerdo, Rodolfo apareceu no coração da área a rematar para a baliza de Sérgio Nobre, fazendo o 1-1.

Quando já toda a gente pensava que o jogo ia acabar empatado, no último dos seis minutos de desconto, o Ginásio ganhou uma falta à entrada da área, com Rodolfo Cabral a marcar o livre directo de forma exemplar, não dando qualquer hipótese a Sérgio Nobre.

Resultado bastante injusto por aquilo que o Peniche produziu e oportunidades que dispôs, num jogo muito bem dirigido por Sandro Soares.

GD Peniche     1
Sérgio Nobre, Edgar Jesus, Marco Duarte, Edilson, João Miguel, Luís Pinto, Ricardinho, Marinho (Sancheira, 71′), Marco Pidocha (c) (Tiago Ferreira, 50′), Edgar Grincho (Motinha, 55′) e Paulinho.
Não jogaram: Ângelo, Ivo, Bruno Francisco e Paulo Bernardino.
Treinador: Pedro Solá.

GC Alcobaça    2
Fábio Santos, João Luís, Ruben Pereira, Daniel Esteves (Daniel Novo, 61′), Bruno Daniel (Ruben Santos, 75′), Wilson (Rodolfo Cabral, 75′), Miguel Pinheiro (c), Tiago Cerejo, Fábio Rosado e Yassine.
Não jogaram: Diogo, Jacinto, Candeias e Dinis.
Treinador: Filipe Faria.

Estádio do GD Peniche
Árbitro: Sandro Soares.
Espectadores: 200. Ao intervalo: 1-0.
Golos: 0-1 Marinho (20′); 1-1 RodolfoCabral (90+3′); 1-2 Rodolfo Cabral (90+6′).
Disciplina: Amarelo a Rodolfo Cabral (90+3′), Edgar Jesus (90+6′).

Texto: Paulo Neves – Diário de Leiria
Foto: Hélder Matias