Um jovem de 16 anos, que estava a assistir ao jogo de futebol entre o GD Atouguiense e o GD Nazarenos, na manhã do passado domingo, foi brutalmente agredido pela equipa de juniores da Nazaré, tendo sido transportado para o hospital de Caldas da Rainha. O episódio aconteceu após o apito final e foi despoletado pelo guarda-redes do GD Nazarenos, que saltou o muro que circunda o terreno de jogo para agredir um adepto que se encontrava atrás da baliza, tendo–se juntado toda a restante equi­pa nazarena. Face às agressões, o jovem adepto teve de ser assistido no local por uma equipa médica do INEM e foi hospitalizado, registando inúmeros hematomas por to­do o corpo, inclusive na cabeça.

Segundo apurou o Diário de Leiria, no jogo a contar para a Taça do Distrito no escalão de juniores, as coisas começaram a aquecer quando o Atouguiense marcou o seu segundo golo. Aí, dois jogadores do GD Nazarenos receberam ordem de expulsão por agressões. Era apenas o princípio para o que se seguiria.

“Atletas, treinadores, dirigentes e adeptos do GD Atougui­ense foram insultados e agredidos pelos atletas da equipa do GD Nazarenos, como pode ser comprovado pela equipa de arbitragem e pela autoridades policiais presentes”, adiantou a direcção do GD Atouguiense em comunicado.

O clube da Atouguia da Baleia pede, assim, uma punição exemplar aos atletas acusados de agressão. “O GD Atougui­ense não confunde a instituição do GD ‘Os Nazarenos’ com estes atletas que tão mal a representaram com os seus actos e atitudes deploráveis, mas exige, em nome dos seus atletas, treinadores, dirigentes e adeptos e em nome do futebol de formação da Associação de Futebol de Leiria e da ética desportiva, que estes ditos atletas, sejam punidos de forma exemplar, quer desportivamente, quer judicialmente”.

O Diário de Leiria apurou que os pais do jovem agredido apresentaram queixa junto das forças policiais, tendo a GNR identificado vários elementos do plantel nazareno ainda no local das agressões.

Treinador do GD Nazarenos lamenta agressões e pede a demissão
Do lado do GD Nazarenos, o treinador Paulo Coutinho repudia os actos dos seus atletas. “Não me revejo e não pactuo com este tipo de situações e não há nada que o justifique. Lamento profundamente o que aconteceu e neste momento estou demissionário”, adiantou.

Paulo Coutinho frisou ainda que “o jogo nada fazia prever uma situação daquelas”, mostrando-se visivelmente desiludido com a atitude violenta dos seus atletas. “Não é este o tipo de mensagem que eu passo no balneário”.

Questionado sobre o castigo que poderão recair sobre os jogadores do GD Nazarenos, o treinador sublinha que eles “já são homenzinhos e terão que responder por o que fizeram”.

Jogadores nazarenos vangloriaram-se na Internet
Poucas horas depois das agressões, foram vários os jogadores do GD Nazarenos que utilizaram as redes sociais não para se retratarem, mas sim para se vangloriar.

“O que vale é que as suspensões só contam na taça, pode tudo jogar no campeonato”; “não consigo tirar da minha cabeça a cara do bacano desmaiado com os olhos a revirar”; “não joguei um ‘crlh’, mas valeu pela porrada”; “porrada com as bancadas e jogámos fora, mandámos um gajo para o hospital”; “os bacanos não sabiam mesmo no que se iam meter quando vieram para a porrada contra nazarenos” foram apenas alguns dos tweets a que o Diário de Leiria teve acesso.

Também no Facebook anda a circular um pequeno vídeo, onde é possível ver, ao longe, um aglomerado de jogadores do Nazarenos atrás de uma das balizas a dar pontapés, tendo este grupo dispersado apenas quando chegou a intervenção de atletas do GD Atouguiense e das forças policiais.

Texto: José Roque – Diário de Leiria