Paulo Sarraipa, presidente da UD Leiria, pediu a demissão de administração da UD Leiria SAD, juntamente com a directora-geral do clube, Susana Duarte. Na base da decisão está a “falta de diálogo e cooperação” entre o clube e a SAD unionista. Além disso, o responsável fala ainda em incumprimento por parte da SAD em relação ao que está acordado entre as duas entidades.

“Quero alertar os sócios para a situação que se está a passar entre a SAD e a UD Leiria. Estive numa reunião com o presidente da administração da SAD Alexander Tosltikov, em finais de Dezembro, em que no cronograma dos pagamentos que estavam a ser feitos, o clube estava em último lugar. Também foi dito que a SAD tinha muitas dívidas e que não era possível cumprir com a UD Leiria”, contou Paulo Sarraipa.

Em causa está o protocolo estabelecido entre as duas entidades em que está definido que a SAD terá que pagar cinco mil euros mensais ao clube, “algo que está em falta há três meses”. Além disso, o presidente do clube fala em falta de pagamento relativamente à utilização dos transportes da UD Leiria (três mil euros), percentagem da transferência de Bruno Jordão para o SC Braga (15 mil euros) e a utilização da academia de futebol juvenis, em Santa Eufémia, para treinos e jogos (22 mil euros). “Mandaram a fatura para trás. É um acumular de situações que eu não sei aonde é que vai parar”, vincou.

Segundo o responsável, o pedido de demissão como administrador da SAD está relacionado com um “clima de tensão” existente “a partir do momento em que não há cooperação de uma das partes”. “Não tolero que esteja a pagar dívidas provenientes da SAD e que o meu nome seja posto em causa. Porque se a SAD não cumpre com os pagamentos devidos, é o meu nome que fica em causa”, disse.

Paulo Sarraipa vai ainda mais longe, e diz querer alertar para uma “segunda falência de uma SAD da UD Leiria”. “Foi-

-me dito que esta SAD tinha muitas dívidas, e se há incumprimento com um parceiro accionista como a UD Leiria, eu temo outras situações”, sublinhou.

Relativamente à resposta que obteve por parte da SAD para o não cumprimento do protocolado, Paulo Sarraipa adianta que a Sociedade Anónima insinuou “de forma implícita” que o clube deveria contribuir para o orçamento do futebol sénior, tendo em conta que o clube tem uma participação de 40% na estrutura accionista. “Não faz sentido e lamento essa atitude, porque o clube nunca foi ouvido para falar de um orçamento de ascende a um milhão de euros”.

Paulo Sarraipa apela à união dos sócios

Questionado sobre uma entrevista de Alexander Tolstikov deu ao jornal O Jogo em que refuta os boatos de que iria abandonar o projecto em Leiria, Paulo Sarraipa diz que “não se pronuncia sobre boatos”, deixando, contudo a garantia que “se isso acontecer, pelo menos que deixem os direitos desportivos para o clube”, para não se repetir o que aconteceu há seis anos.

“Se eles saírem amanhã, o clube está preparado, na minha presidência, para levar o campeonato ate ao fim (…) Só sei é que os leirienses podem contar com o presidente da UD Leiria para o que ver e vier”, assegurou.

Relativamente à actual situação da equipa sénior, Sarraipa diz que teve “vergonha” do resultado contra o CD Fátima (0-3). “Fiquei triste com o que aconteceu e ainda mais triste pela falta de diálogo entre a SAD e o clube. Nunca houve houve relação entre nós. Quando ele [Alexander Tolstikov] diz que não sabe se o presidente da UD Leiria é rico ou pobre, eu respondo-lhe que não é rico nem é pobre, é honesto e sério. Não admito estar como accionista de uma entidade que põe em risco o meu bom nome e a minha vida particular”, frisou.

Por último, fazendo um balanço “positivo” dos seus seis meses de mandato, Paulo Sarraipa apela à união dos adeptos num momento delicado. “Os sócios têm que comparecer na próxima assembleia [sexta-feira] porque temos que decidir o que queremos fazer. Aproveito para pedir desculpa a pessoas como Fernando Encarnação [ex-vice-presidente do clube] e Rui Lisboa [ex-presidente] por coisas que tenha dito, porque neste momento o importante é estarmos todos unidos”, concluiu. |

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito