Casa cheia, tambores, cânticos, corações acelerados, unhas roídas, só quem lá esteve sabe como foi. Ansiedade, nervos, entusiasmo, garra, apoio, foi assim que começou a última jornada em Figueiró dos Vinhos. Duas equipas na luta pela subida, duas equipas a dar tudo por tudo nos seus últimos 90 minutos. Depois da vitória ‘saborosa’ em Alvaiázere e a derrota do Alqueidão contra os Vidreiros, Figueiró ganhou uma nova esperança e sabiam que perder não era uma hipótese.

Sabendo que o empate era suficiente para o Alqueidão, os meninos figueiroenses, tinham de dar mais e foi nesse contexto que surgiu mais uma oportunidade fantástica para Mica, que passou mesmo ao lado das redes, isto depois de um primeiro aviso de Mobarq.

O Alqueidão, ainda que um pouco adormecido, teve uma boa oportunidade, mas valeu a grande defesa de Didi, aliviando os corações dos adeptos.

Os minutos passavam e não havia golos, mas nas bancadas não existia um único minuto de silêncio, os adeptos não desistiam, apoiavam e cantavam e a pressão sobre os jogadores da casa aumentava a cada minuto.

No segundo tempo do jogo, a história repete-se. Um Alqueidão muito adormecido para um Figueiró com força para dar e vender, mas a redonda continuava sem entrar e isso era suficiente para a tranquilidade dos azuis e brancos.

No desenrolar de um jogo mais equilibrado, mas claramente com o Figueiró a ser superior, surgiu o golo ao minuto 75. Rafa, após a recuperação de uma bola, fez um cruzamento perfeito, direitinho para Ricardo Mobarq que cabeceou sem qualquer possibilidade de defensa.

Foi neste momento que o Estádio Afonso Lacerda foi abaixo, entre sorrisos, lágrimas e muita alegria. Figueiró estava em vantagem e por muito que o Alqueidão quisesse, os verdes e brancos estavam mais fortes que nunca e nada quebrava a força de vencer. Minutos depois surgiu uma nova oportunidade para Russo que, por pouco, não fez o segundo golo.

Os 15 minutos finais pareciam uma eternidade para o Figueiró, só queriam ouvir o apito final, enquanto o Alqueidão ainda tentava chegar a igualdade, mas os nervos e a ansiedade apoderavam-se dos meninos azuis e as bolas.

Com o apito final fez-se a festa, num resultado (1-0) que coloca a AD Figueiró dos Vinhos de regresso à Divisão de Honra. |

Texto e foto: Sabrina Caetano – Diário de Leiria