Na tarde de domingo, o AC Marinhense deslocou-se ao reduto do CR Ferreira de Aves em jogo em atraso do Campeonato de Portugal e acabou por somar mais três pontos, terminando com um robusto 1-5. Apesar de ter entrado a todo o gás, o Ferreira de Aves foi adormecendo e concedeu uma pesada derrota frente à motivadíssima equipa de Pedro Solá, que já leva quatro vitórias consecutivas.

A formação da casa entrou forte, fazendo o golo inaugural quando o relógio ainda não marcava 30 segundos, num remate forte de Kokora que beneficiou de um pequeno desvio de João Paulo, traindo João Guerra.

O Marinhense respondeu num lance em que Fábio Coça, com um pequeno desvio de cabeça, isolou Silas, no entanto o avançado nigeriano não fez melhor do que desviar a bola para as mãos de Rúben Alfaiate.

Do outro lado, após uma boa combinação sobre a esquerda, Kokora podia ter aumentado, mas o remate saiu à malha lateral. Apesar de tudo, o golo do empate acabaria por chegar, por João Paulo, na transformação de uma grande penalidade.

O Ferreira de Aves respondeu ao golo da igualdade, mas os remates de Calhau e Kiko não levaram o melhor caminho.

Perto do intervalo, novo cruzamento de Filipe Sarmento e uma fantástica assistência de cabeça de Luiz Fernando permitiram que Rúben Martins operasse a cambalhota no marcador para o Marinhense (1-2).

A segunda metade começou com maior equilíbrio, ainda assim, pertenceram à equipa forasteira as primeiras oportunidades, primeiro Fábio Coça flectiu da direita para o meio e rematou forte, fazendo a bola esbarrar na malha superior da baliza, dando ilusão de golo. Depois Bernardo Lopes atirou forte, mas à figura de Rúben Alfaiate, num remate de ressaca.

Pouco depois uma desatenção defensiva quase resultou no golo do empate, mas Pedro Marado, na cara de João Guerra, não fez melhor do que atirar ao lado.

O Marinhense controlava a partida de forma passiva, apostando no contra-ataque e, des­sa forma, podia ter aumentado quando Rúben Martins assistiu Silas, mas Tiago Henrique evitou o terceiro dos marinhenses. Contudo, o guarda-redes nada pôde fazer pouco depois numa incursão individual do avançado nigeriano, da direita para o meio, aplicando um remate forte e colocado, fazendo o 1-3.

O quarto golo surgiu pouco depois numa simples e bem desenhada jogada de contra- -ataque que terminou com um boa assistência de Ricardo Pires para Silas fazer o 1-4.

Já em tempo de compensação, um bom cruzamento de Filipe Sarmento resultou no 1-5 final, num lance finalizado com classe por Alex Dias, ele que havia tentado a sua sorte minutos antes num potente remate que Rúben Alfaiate desviou para canto com uma grande defesa.

Vitória justa da melhor equipa em campo, numa partida em que o trio de arbitragem de Braga esteve algo irregular, ainda assim teve uma actuação positiva.|

CR Ferreira de Aves 1
Rúben Alfaiate; Vitinho, Abdul (Carlos Gomes, 24’), João André, Tiago Henriques; Gui (Sérgio Pedro, 46’), Calhau (c), Luís Cardoso (Vladmir, 60’); Pedro Marado, Kiko, Kokora. Não jogaram: Tó Oliveira, Thiago Pereira, Zezito, Zé Henrique.
Treinador: Rui Almeida.

AC Marinhense 5
João Guerra; Filipe Sarmento, Yan Victor, João Paulo (c), João Vítor; Pedro Rodrigues, Jimmy (Bernardo Lopes, 46’), Fábio Coça (Alex Dias, 85’); Rúben Martins, Silas, Luiz Fernando (Ricardo Pires, 70’). Não jogaram: Pedro Carvalho, André Lourenço, Baixinho, Dady.
Treinador: Pedro Solá.

Estádio do Montragão, Ferreira de Aves – Satão
Árbitro: Duarte Oliveira (AF Braga). Assistentes: Nuno Fernandes e Vítor Fernandes.
Espectadores: 300. Ao intervalo: 1-2.
Golos: 1-0 Kokora (1’), 1-1 João Paulo (27’, g.p.), 1-2 Rúben Martins (42’), 1-3 Silas (81’), 1-4 Silas (87’), 1-5 Alex Dias (90+3’).
Disciplina: Amarelo a João André (55’), Calhau (71’), Carlos Gomes (75’+84’). Vermelho por acumulação a Carlos Gomes (84’). Vermelho directo a Dady (89’ no banco de suplentes).

Texto e foto: Pedro Sousa – Diário de Leiria