A Boavista recebeu no seu reduto o Guiense e foi vergada a uma pesada derrota, sendo a segunda consecutiva, contrastando com o bom início de campeonato, num encontro em que encontrou um adversário letal na finalização.
A fase inicial começou equilibrada, sem que nenhum dos conjuntos se superiorizasse ao outro até que num lance rápido, Joel Domingos fez jus ao seu instinto matador e, num remate cruzado, abriu o activo para os visitantes.
Diogo António poderia ter empatado minutos depois, ao isolar-se após falha de Varalonga, mas rematou às malhas laterais, quando poderia ter feito muito melhor.
Seguiu-se uma toada de muita disputa a meio-campo, e só ao minuto 33 o perigo voltou a rondar uma das balizas, com Ima, descaído sobre a meia-esquerda, à saída de Palecas, a tentou o chapéu, mas este saiu ligeiramente por cima da baliza axadrezada.
Com as linhas mais recuadas os visitantes voltaram a criar perigo, numa grande jogada colectiva, com Félix (o melhor em campo) a trabalhar bem na direita, cruzando depois para Joel que apareceu à boca da baliza, mas com o avançado atirou para fora, quando tinha tudo para bisar.
Na segunda parte, golpe duro nas aspirações dos boavisteiros, com Félix a fazer o 0-2 logo nos minutos iniciais, na sequência de um canto directo.
Pouco depois e também num canto apontado por Félix, Varalonga, ao segundo poste, aumentou a vantagem para 0-3 bolas, num lance em que Palecas não ficou isento de responsabilidades.
Os donos da casa não baixaram os braços e continuaram na procura do golo. Assim, Simão Silva poderia ter reduzido ao minuto 74, mas isolado sobre a esquerda rematou cruzado ao lado. Mais eficaz foi Francisco Reis que trabalhou bem dentro da área reduzindo a contenda, num golo que já se justificava (1-3).
Mas foi sol de pouca dura, pois três minutos volvidos a eficácia dos homens da Guia veio ao de cima e Ima correspondeu positivamente de cabeça a cruzamento vindo da direita. Pouco depois, Ima combinou bem com Tiago Marques e este, com um remate colocado, fez o 1-5.
Numa segunda parte recheada de golos, o encontro não terminou sem que houvesse mais um, com o árbitro do encontro a considerar que Luiz Sousa foi derrubado dentro da área, num lance que deixou muitas dúvidas. Indiferente a isso, Diogo António, com classe, fechou o marcador nos 2-5.
Vitória justa do Guiense, talvez por números exagerados, perante uma arbitragem irregular, num jogo fácil de dirigir.|

GDR Boavista 2
Palecas, Daniel Gregório, André Amores, João Roberto (c), Pinuco (Ricardo Oliveira, 78′), João Capão, Mosca, Ari (Luiz Sousa, 54′), Francisco Reis, Lukas Fonseca (Simão Silva, 54′) e Diogo António.
Não jogaram: Rui Pedro, Ricardo Godinho, Nuno Vieira e Igor Sousa.
Treinador: Marco Aurélio.

GD Guiense 5
Sérgio Fonseca, Tiago Marques, Varalonga, Vítor Rodrigues, João Gato, Damien (Diogo Gameiro, 67′), Tiago Grilo, Félix (c) Ima, André Duarte (Normando, 86′) e Joel Domingues (Ricky, 82′).
Não jogaram: Zezito, Fábio e Márcio.
Treinador: Mário Artur.

Campo da Boavista, na Boa Vista
Árbitro: José Agostinho. Assistentes: Ricardo Nobre e Marco Marques.
Espectadores: 80. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Joel Domingos (11′), 0-2 Félix (47′), 0-3 Varalonga (55′), 1-3 Francisco Reis (78′), 1-4 Ima (81′), 1-5 Tiago Marques (85′), 2-5 Diogo António (88′, p.).
Disciplina: Amarelo a Mosca (90+1′).

Texto e foto: Fábio Osório – Diário de Leiria