O dérbi da cidade da Marinha Grande em juniores foi bastante aceso, com bastantes casos e um empate (2-2) justo no final do tempo regulamentar.
Começou melhor a equipa visitante, vencendo quase todos os duelos a meio do terreno, embora sem criar grandes oportunidades de perigo, com um Marinhense algo adormecido na partida.
Mesmo com o contratempo de João Oliveira, que seguiu para o hospital com uma fratura em dois dedos da mão, a equipa vermelha e branca seguia mais forte no encontro. Assim, foi com naturalidade que chegou ao primeiro golo na sequência de um canto em que Bruno Gomes atirou forte e colocado ao ângulo.
O Marinhense respondeu por Confraria que atirou por cima após uma grande jogada do ataque. O jogo entrou numa toada de parada e resposta, e Brazão esteve perto de dilatar a vantagem com um remate potente, mas desviado pela defesa do Marinhense.
Paulatinamente, o Marinhense tomou o controlo do jogo, e chegou mesmo ao golo, através de um livre indirecto duvidoso, que provavelmente foi o único erro do árbitro Ricardo Carreira em toda a partida: Tiago Santos agarrou o esférico e, após hesitação, largou o mesmo, agarrando-o de novo, sem nunca tocar no chão. Na cobrança, Rodrigo Pereira, com um remate colocado milimetricamente, estabeleceu a igualdade no marcador, perante um Tiago Santos que podia e devia ter feito mais, já que a bola entra no poste mais perto de si.
Na segunda parte começou melhor o Marinhense que chegaria cedo ao golo quando Rodrigo Confraria isolou Vitorino e este, com toda a calma do mundo, atirou para o 2-1.
A partir daqui o jogo tornou-se mais ‘duro’, com muitos duelos à margem da lei. Ainda assim, o SL Marinha esteve perto do golo após um cruzamento largo de Brazão a obrigar Samuel a atirar para canto. Pouco depois, na baliza contrária, Vitorino podia ter bisado, mas o avançado atirou de cabeça ao lado.
O jogo teve então muito tempo parada por lesão grave de Luís Pancadas (SL Marinha) que foi transportado para o hospital e quem aproveitou melhor a paragem foi o SL Marinha, que cresceu na partida e chegou ao empate por Luís Leandro após cruzamento de Brazão em que o avançado, com apenas Samuel Vieira pela frente, empurrou para o fundo da baliza alvinegra, estabelecendo o empate no marcador, justo pelo que foram os 90 minutos.
Destaque ainda para violência já no término da partida, com provocações de ambas as partes, que obrigaram intervenção policial. Os conflitos alastraram-se para o exterior das quatro linhas, embora prontamente sanados.|

AC Marinhense B    2
Samuel Vieira, André Silva, Bernardo Bastos, Daniel Leandro, Filipe Codinha (Laur Chițanu, 61′), Pedro Vitorino, António Santos (José Graça, 85′), Rodrigo Confraria, Mário Lopes, Pedro Mouzinho, Rodrigo Pereira (Ivo Silvério, 85′).
Não jogaram: Paulo Cerva, Cardoso, Francisco Simões, Rúben Pedro.
Treinador: Joaquim Trindade.

SL Marinha 2
Tiago Santos, João Pedro, Nicolas (Alexandre Brazão, 65′), Rodrigo Brazão, Ricardo Ribeiro (Luís Leandro, 75’), Bruno Gomes, João Oliveira (Ricardo Ezequiel, 15′), Lucas, Bruno Cid, João Rocha (Fábio Pinheiro, 45′), Luís Pancadas (Rafael, 67′). Não jogaram: Sandro Ferreira, João Magalhães.
Treinador: Héber Barros.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Ricardo Carreira. Assistentes: Gracindo Vieira e Fábio Santos.
Espectadores: 250. Ao intervalo: 1-1.
Golos: 0-1 Bruno Gomes (17′), 1-1 Rodrigo Pereira (28′), 2-1 Pedro Vitorino (45′), 2-2 Luís Leandro (81′).
Disciplina: Amarelo a António Santos (8’), Rodrigo Brazão (40’), João Pedro (58’), Lucas Amorim (79’), André Silva (80’).

Texto e foto: André Lucas – Diário de Leiria