O Marinhense registou a segun­da derrota (1-2) caseira no campeonato e, mais uma vez, só se pode queixar de si próprio já que o SC Ideal foi obrigado a fazer duas alterações por lesão numa fase prematura da partida e viu o seu avançado ser expulso aos 33’. Por isso, estavam reunidas as condições para a equipa de Rui Rodrigues conseguir uma vitória tranquila, mas acabou por ser vergado a uma derrota de todo inesperada.
O jogo começou com o Marinhense a imprimir um ritmo forte, acercando-se várias vezes da área açoriana, mas a verdade é que não conseguiu criar uma real situação de perigo, exceptuando os lances de bola parada com o guardião Imerson a defender tudo o que lhe aparecia pela frente.
Do lado do Ideal, em apenas 30 minutos, tudo correu mal: dois jogadores tiveram que sair por lesão e o avançado Douglas foi expulso por acumulação. Assim, até ao intervalo, o Marinhense intensificou a pres­são perante um Ideal cada vez mais fechado na sua área, tapando todos os caminhos para a sua baliza.
Na segunda parte, o Marinhense foi tentando encontrar uma qualquer brecha na muralha do adversário que defendia como podia, mas o Ideal, numa transição rápida, acabou por inaugurar o marcador quando Sérgio falhou o remate, acabando por servir o colega de equipa Daniel que, à meia volta, rematou para o fundo das redes do desamparado João Guerra. O Marinhense respondeu de imediato a este balde de água fria já que, dois minutos depois, após um passe a rasgar para área, apareceu Leandro Antunes a atirar para o golo do empate.
Galvanizados pelo golo, esperava-se um Marinhense for­te e determinado para o assalto final à baliza adversário, mas o que se viu foi um futebol atabalhoado e uma sucessão de erros que o adversário aproveitou. Assim, contra a corrente do jogo, foi o Ideal quem criou uma excelente oportunidade para marcar, pecando apenas na finalização. Depois de um primeiro aviso, eis que o golo surgiu mesmo quando Henrique cruzou para área e Luís Oliveira, apertado por Thiago, acabou por cortar para a sua própria baliza.
O melhor que o Marinhense conseguiu foi, no período de compensação, acertar na barra da baliza açoriana através de um cruzamento de Rúben Martins. Muito pouco para quem jogava em superioridade.
Arbitragem negativa do trio de Santarém, principalmente ao nível disciplinar. Perdoou vários amarelos aos visitantes que adoptaram um futebol mais duro e foi complacente com a perda de tempo do Ideal. |

AC Marinhense 1
João Guerra, Rúben Martins, Fábio Santos, Luís Oliveira, Ricardo Ferreira (Adelaja, 79′), Pedro Rodrigues (Pedro Emanuel, 58′), Alex, André Perre, Abdel (Ednilson, 70′), Rúben Coelho (c), Leandro Antunes.
Não jogaram: Durakovic, Simão Moreno, Oidel, Tiago Claro.
Treinador: Rui Rodrigues.

SC Ideal 2
Imerson, Gonçalo, Bá, Josemar, Hugo (Sérgio, 31′), Daniel, Diogo, Pacheco (Thiago, 77′), Gustavo (Pedro, 6′), Henrique, Douglas.
Não jogaram: Rui, Artur, Baltazar.
Treinador: André Branquinho.

Estádio Municipal da Marinha Grande
Árbitro: Hélder Carvalho (AF Santarém).
Auxiliares: Rafael Escudeiro e Rui Ferreira.
Espectadores: 250
Ao intervalo: 0-0
Golos: 0-1 Daniel (54′), 1-1 Leandro Antunes (56′), 1-2 Luís Oliveira (86′, p.b.).
Disciplina: Amarelo a Rúben Martins (13′), Douglas (17′ e 33′). Vermelho por acumulação a Douglas (33′).

Texto e foto: José Roque – Diário de Leiria