Num jogo equilibrado e quezilento, principalmente na etapa complementar, o Ginásio de Alcobaça foi mais pragmático e venceu na Boa Vista por 0-1 e conquistou três importantes pontos. A Boavista só se pode queixar de si mesmo, pois desperdiçou um penálti mesmo em cima do apito final.
O jogo começou num ritmo bastante intenso, com a bola a estar constantemente junto das balizas. Apesar do equilíbrio, o Ginásio de Alcobaça foi mostrando maior discernimento na fase de decisão e, aos 10′, Pedro Pimenta apareceu em posição para marcar, mas Diogo Martins adivinhou o lance e evitou males maiores para a sua baliza.
O Ginásio de Alcobaça estava mais perigoso, e aos 18′, Pedro Pimenta finalizou de forma acrobática um cruzamento de Lucas Grilo, mas o desvio sai ligeiramente ao lado da baliza. Pouco depois, novo lance de perigo para o Ginásio, com Lucas Grilo a finalizar uma boa jogada colectiva, valendo uma vez mais Diogo Martins a defender para canto.
Apesar destes lances, a Boavista procurava dividir o jogo, mas se em termos de posse de bola até o conseguia, ao nível da criação de jogadas de perigo é que não.
A etapa complementar recomeçou com um bom lance da Boavista, com Diogo António a finalizar com um remate por cima da baliza. Apesar deste lance, o Ginásio de Alcobaça parecia sempre mais esclarecido e, aos 53′, chegou mesmo ao golo. Após cruzamento largo da esquerda, Lucas Grilo, à vontade, fez de cabeça o único golo da partida.
Em desvantagem, a Boavista procurou reagir, e já com Marcelo Carvalho e Miguel Carvalho em campo, a equipa de Pedro Nunes procurava mudar o rumo dos acontecimentos. No entanto, procurava fazer tudo depressa de mais, com pouco critério, o que foi facilitando a tarefa defensiva dos homens de Alcobaça.
A acrescentar a isto, o jogo foi entrando numa crescente espiral de muitas pausas e de conflitualidade entre jogadores, o que na verdade foi tornando o jogo mais feio e desinteressante.
Com a Boavista ‘obrigado’ a arriscar mais, foram também surgindo mais espaços nas costas da sua defesa e, por mais do que uma ocasião André Lopes ficou muito perto de marcar.
Aos 86′, o árbitro considerou que Daniel Gregório foi travado na área do Ginásio e concedeu um penálti para a Boavista. Soberana oportunidade para a equipa da casa empatar, mas Fábio Santos adivinhou o remate de Diogo António.No seguimento deste lance, Carlos Marques e Diogo António acabam expulsos, em ambos os casos em lances de enorme infantilidade.
Num jogo em que os jogadores não facilitaram, o árbitro Rafael Marques não cometeu erros grosseiros, mas ainda assim fez um trabalho bastante irregular, com o dom de irritar jogadores e adeptos das duas equipas. |

GDR Boavista 0
Diogo Martins, Daniel Gregório,
João André, João Batista, João Videira (Miguel Carvalho, 65′), Celso Pereira (Marcelo Carvalho, 59′), Telmo Vazão, João Capão (Gonçalo Pereira, 85′),
João Duarte, Lukas Fonseca, Diogo
António (c).
Não jogaram: André Bumba, Nuno Vieira, Miguel Oliveira, Wilson Oliveira.
Treinador: Pedro Nunes.

GC Alcobaça 1
Fábio Santos, João Túlio, Miguel Filipe, Carlos Marques, João Coutinho, Wellington Silva, Miguel Rodrigues (João Candeias, 41′), Picamilho, Lucas Grilo (Bruno Ferreira, 73′), Dinis Quitério, Pedro Pimenta (André Lopes, 64′).
Não jogaram: Bruno Oliveira, Tiago Silvestre, Rúben Santos, Tomás Cordeiro.
Treinador: Leandro Santos.

Campo da Boavista, na Boa Vista
Espectadores: 120
Árbitro: Rafael Marques. Assistentes: Pedro Pereira e João Cacila.
Ao intervalo: 0-0
Golos: 0-1 Lucas Grilo (53′).
Disciplina: Amarelo a João Videira (10′), João Capão (11′), João Silva (45′), André Lopes (71′), Lukas Fonseca (77′), Miguel Filipe (77′), Lucas Grilo (82′), João Túlio (90’+6), Fábio Santos (90’+6). Vermelho directo a Carlos Marques (87′) e Diogo António (90′).

Texto e foto: Pedro Almeida – Diário de Leiria