Marinhense e Caldas encontraram-se para mais um jornada do Campeonato de Portugal, protagonizando uma partida interessante de se seguir, onde o resultado final (1-1) acaba por se ajustar embora os visitantes tenham tido as melhores oportunidades do jogo.
Os caldenses entraram melhor no desafio, com maior ascendente e logo ao minuto 8 criou uma situação de verdadeiro perigo para a baliza de João Guerra, num magnífico passe de Pedro Faustino a desmarcar Ricardo Isabelinha, com o avançado a oferecer o golo a Leandro Vilas Boas, mas este, no coração da área e com a baliza à sua mercê, falhou incrivelmente o que parecia certo.
A resposta veio dez minutos depois através de uma iniciativa individual de Ednilson na esquerda do ataque, mas o seu remate saiu ligeiramente por cima. Do lado contrário, foi Pedro Faustino a concluir de cabeça uma bela jogada colectiva, mas o médio pecou na finalização.
Minutos mais tarde foi Leandro Vilas Boas a estar novamente perto do golo, mas pressionado por um defensor marinhense, o médio rematou fra­co e à figura de João Guerra.
No minuto seguinte, nova boa jogada do conjunto visitante, com Luís Farinha a cruzar da direita para Rui Ferreira, com este a cabecear a centímetros do poste.
Os donos da casa, perto do descanso equilibraram a contenda, mas estiveram sempre inoperantes em termos ofensivos, terminando assim uma primeira parte com o nulo a ser lisonjeiro para os anfitriões.
No reatamento, o Marinhen­se entrou melhor, mais pressionante e Ednilson deu o mo­te, com um forte remate para uma grande defesa de Luís Paulo. Na sequência do canto, Leandro Antunes tentou a sua sorte de meia distância, mas o guardião contrário mostrou-se seguro.
Corolário da supremacia no segundo tempo, os vidreiros chegaram ao golo, através de uma grande penalidade indiscutível, por derrube de Thomas Militão sobre Rojas. Na conversão da marca dos 11 metros Leandro Antunes não perdoou e abriu o activo para os locais.
Com o tento sofrido, o Caldas voltou a tomar conta do jogo e Pedro Faustino, com mais um passe fantástico, isolou Ricardo Isabelinha com o avançado a atirar ao poste (65′).Três minutos volvidos, nova soberana oportunidade para os ‘pelicanos’ igualarem, mas o recém-entrado Hugo Neto permitiu grande estirada de João Guerra na marcação de uma grande penalidade.
O guardião da casa, voltou a mostrar serviço ao defender com estilo um cabeceamento de Luís Farinha e, no minuto seguinte, Pedro Faustino tirou um adversário do caminho e cruzou para a área onde apareceu André Simões a atirar forte, mas um defesa da casa cortou em cima da linha de golo.
O Marinhense respondeu através de Abdel que, com um iniciativa individual, obrigou Luís Paulo a uma grande intervenção.
Apesar de tudo, era o Caldas quem mandava no jogo e o prémio para a persistência dos pupilos de José Vala surgiu perto do fim, numa jogada de insistência, com o esférico a sobrar para Hugo Neto que, de cabeça, fez o esférico sobrevoar João Guerra, redimindo-se do penálti falhado. Estava restabelecida a igualdade, num resultado que se ajusta naquela que foi uma bela partida de futebol, perante uma arbitragem com alguns erros.

AC Marinhense 1
João Guerra, Rúben Martins, Luís Oli-veira, Fábio Santos, Ricardo Ferreira, Pedro Rodrigues (Elton Lopes, int.), André Sousa (c), André Perre, Ednilson (Abdel Hbouch, 64′), Leandro Antunes (Rúben Coelho, 89′) e Óscar Rojas.
Não jogaram: Mirza, Alex Diliberto, Bernardo e Edgar.
Treinador: Andrés Madrid.

Caldas SC 1
Luís Paulo, Juvenal Oliveira (Yordy Marcelo, 44′), Thomas Militão (c), Pedro Gaio, Luís Farinha, Paulo Inácio, André Simões, Pedro Faustino, Leandro Vilas Boas, Rui Ferreira (Hugo Neto, 57′) e Ricardo Isabelinha (Bruno Lopes, 75′).
Não jogaram: Rui Oliveira, Vítor Rodrigues, Rui Januário e João Passuco.
Treinador: José Vala.

Estádio Municipal, Marinha Grande
Árbitro: Bruno Vieira. Assistentes: Carlos Carmo e Diogo Soares.
Espectadores: 140. Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 Leandro Antunes (56′, p.), 1-1 Hugo Neto (88′).
Disciplina: Amarelo a Pedro Faustino (16′), Luís Farinha (32′), Élton Lopes (48′), Thomas Militão (55′), André Sousa (68′), Ricardo Ferreira (74′).

Texto: Fábio Osório – Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito