Carlos Delgado vai assumir o comando técnico da UD Leiria até ao final da presente época. O até aqui treinador interino depois da saída de Filipe Cândido, há duas semanas, convenceu a estrutura da SAD a apostar no seu potencial, tendo ficado agradavelmente surpreendida com as duas semanas de trabalho do jovem de 29 anos, natural da Nazaré.
“É um grande desafio para mim. Aceitei porque os jogadores pediram para ficar e porque não podia virar as costas à SAD neste momento difícil”, explicou Carlos Delgado, acrescentando que está surpreendido com o desenrolar dos acontecimentos: “Se me dissessem, há um mês, que ia ser treinador da UD Leiria não acreditava”.
Apesar de esta ser a sua primeira experiência como treinador principal numa equipa sénior, Carlos Delgado está confiante que pode fazer um bom trabalho. “Tenho qualidade para assegurar o projecto e sinto-me totalmente preparado para o levar em frente”, salientou.
Admitindo que o principal objectivo é “garantir a manutenção o mais rapidamente possível”, Carlos Delgado assume que o reforço da equipa tem carácter de urgência. Para isso, a UD Leiria SAD está a tentar contratar jogadores “identificados” com o clube, como são os casos de Lucas Reis e Vasco Pontes que, desde a semana passada que são reforços.
O Diário de Leiria sabe ainda que esta semana devem chegar mais reforços, nomeadamente o extremo João Silva (Armacensenses) e o ala Pedro Henriques (Vitória de Sernache), ambos formados na UD Leiria e dentro do perfil desejado pela SAD unionista.
Em relação à equipa técnica, Carlos Delgado deverá ser co-adjuvado por Orlando Fernandes, João Tiago Santo e Ricardo Costa.

Ascensão meteórica
Carlos Delgado ingressou na UD Leiria no início da época desportiva, há cerca de sete meses, no sentido de realizar um estágio no âmbito do seu mestrado em treino desportivo no Instituto Superior de Ciências Educativas. O ‘estagiário’ acompanhava então a equipa técnica liderada por Filipe Cândido, mas com a saída deste último e a debandada generalizada de jogadores, Carlos Delgado foi convidado a aguentar o ‘barco’, ficando responsável pela orientação das sessões de treino. Além disso, o nazareno orientou a equipa nos jogos frente ao Oliveira do Hospital (derrota por 3-2) e frente ao RD Águeda (1-1), isto apesar de não poder constar na ficha de jogo por apenas ostentar o nível 1 de treinador, quando o regulamento obriga a que se tenha – pelo menos – o nível 2.
O regulamento prevê ainda que um clube possa ficar apenas dois jogos sem treinador, ou seja, sem ter na ficha de jogo alguém com o nível 2 ou mais alto, pelo que na próxima partida frente à UD Santarém, a UD Leiria SAD já terá que apresentar na ficha de jogo um treinador com as habilitações correctas e que deverá ser o adjunto Orlando Fernandes.
Além disso, recorde-se que Carlos Delgado foi expulso no jogo do passado domingo dian­te do RD Águeda e não poderá estar no banco de suplentes, cabendo essa responsabilidade ao também nazareno Orlando Fernandes, que conta com experiências como treinador no Pataiense e no GD Nazarenos, entre outros.|

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito