Presidente do GRAP, Manuel da Ponte, explica os motivos de ter demorado tanto tempo a decidir-se pela subida ao Campeonato de Portugal. Diz que o objectivo será a manutenção, mas reforça a aposta na formação

Texto e foto: José Roque – Diário de Leiria

Diário de Leiria – Por que é que o GRAP demorou tanto tempo a decidir subir para o Campeonato de Portugal? O que estava em causa?
Manuel da Ponte O que estava em causa é que nós queríamos saber os meios que iríamos dispor para poder dar esse passo. Nesse sentido, fizemos várias perguntas a várias entidades e só depois disso é que tomamos uma decisão de forma ponderada.

A direcção do GRAP esteve reunida com a Câmara de Leiria, a União de Freguesias e com a Associação de Futebol de Leiria. Qual foi o objectivo dessas reuniões e a que conclusões chegaram?
O objectivo das reuniões era sabermos se podíamos contar com alguns apoios e se nos apoiavam de alguma forma. Chegámos à conclusão que não.

Ficou desiludido?
Não fiquei desiludido porque já imaginava que assim fosse, mas compreendo que não possam ajudar porque senão teriam de fazer o mesmo a todos os outros clubes na mesma proporção.

Apesar de tudo, decidiu aceitar subir de divisão. Porquê?
Porque ao fazermos as contas vimos que matematicamente o orçamento iria ser idêntico ao que temos este ano. Como os valores envolvidos não ultrapassam o nosso orçamento, decidimos aceitar. Além disso, temos vários parceiros que nos permitem ser sustentáveis.

Vai ficar para sempre na história do clube como o presidente que levou o GRAP pela primeira vez no Campeonato Portugal. Há um sentimento especial?
Não. Talvez seja um pouco mais especial pelas pessoas do GRAP. Elas é que vivem mais intensamente isto. Fiquei feliz mais por ver o sonho dessas pessoas realizado.

Nos últimos anos o GRAP esteve sempre muito perto de subir de divisão, mas acabou por consegui-lo na secretaria. Foi algo que os surpreendeu?
Este ano havia muitas pessoas que pensavam na subida de divisão. Não era esse o meu so­nho, porque primeiro é necessário estabilizar as finanças do clube. Tendo em conta que não tínhamos essas garantias [financeiras] a questão da subida ainda não estava seriamente pensada. Por isso demorámos todo este tempo a tomar uma decisão.

Que objectivos estão traçados para a primeira participação no Campeonato de Portugal?
Ainda é prematuro falarmos nisso, mas passará pela manutenção. Fui bem alertado de que normalmente as equipas que são campeãs distritais descem logo no ano seguinte. Por isso foi necessário ponderar e angariar apoios primeiro.

É possível avançar o número de jogadores do GRAP que vão transitar para a próxima época?
Nesta altura não podemos falar sobre isso. Temos coordenadores a tratar dessa situação. Caso seja possível seria bom mantermos alguns jogadores, mas também não sei a disponibilidade deles devido aos horários porque vai ser diferente das épocas anteriores.

Em relação à política de contratações. Que tipo de jogador estão à procura para reforçar o plantel?
Sobre essa questão não sei muito porque são os coordenados que estão a tratar dos contactos.

Pode dar a garantida aos adeptos que não vão ser cometidas loucuras que o futuro do GRAP não ficará hipotecado?
Foi precisamente por causa disso que demorámos a tomar a decisão. Era necessário encontrarmos os apoios e termos um organigrama completo do GRAP. Foi uma decisão ponderada.

Há a possibilidade de aumentar a lotação do campo da Charneca?
Pensámos nisso, nomeadamente em colocarmos bancadas amovíveis, mas ainda estamos a estudar essa situação.

Equacionam em algum momento vir a utilizar o Estádio Municipal de Leiria?
A Câmara de Leiria disse-nos que o estádio estaria à nossa disposição e é uma hipótese em cima da mesa, mas financeiramente isso tem um custo e teremos de avaliar.

Que papel e que peso terá a formação no clube?
Um dos grandes objectivos é formar jogadores para chegar à equipa sénior. Por isso, o que posso dizer é que a formação será uma grande aposta, até mais que os seniores. O que aconteceu este ano com os nossos iniciados foi uma injustiça e a maior desilusão que o clube teve porque foi uma das principais apostas do GRAP e apesar de termos vários pontos de avanço todo o trabalho foi infrutífero. |