Antigo jogador regressa na “pele” de treinador e com o propósito de estabilizar o clube nos campeonatos nacionais. Possibilidade de competir no Campeonato de Portugal ainda está em aberto, mas se a equipa ficar na Divisão de Honra o objectivo passa pela subida

João Paulo Francisco é o novo treinador do Peniche, sucedendo no cargo a Mário Serpa, que conduziu a equipa ao 4º lugar da Divisão de Honra distrital da época passada.
O clube ainda aguarda confirmação sobre qual o escalão em que irá competir em 2020/21, mas o técnico garante estar “motivadíssimo” para o desafio que lhe foi apresentado.
“É um desafio interessante e tem sido positivo sentir a entrega e a vontade da Direcção do clube de dar condições para tentar não falhar com os atletas. Ao contrário do que acontece nalguns clubes, o Peniche quer continuar a cumprir com a palavra”, nota o técnico, de 48 anos, que esteve um ano parado depois de ter orientado o Ponterrolense em 2018/19, nos distritais de Lisboa, e que volta a uma casa bem conhecida.
O antigo defesa esteve quatro temporadas no clube como jogador e com duas subidas à antiga 2ª Divisão B (1991/92 e 1997/98), pelo que assume um carinho especial pelo Peniche.
“Acabo quase por ser da terra e este é um clube que me deu alegrias enquanto jogador. Além disso, é um clube com história e vontade de estar mais acima, o que é muito motivador”, sintetiza.
Para João Paulo Francisco, a indefinição sobre o escalão em que a equipa vai participar é o grande obstáculo à definição do plantel, embora a “ambição de vencer seja a mesma”.
“Ainda não sabemos se vamos jogar no Campeonato de Portugal ou na Divisão de Honra de Leiria. O projecto pode ser nacional ou distirtal e isso condiciona as contratações. Mas, mesmo que joguemos no distrital, o objectivo é cimentar o clube a um nível superior”, esclarece o treinador, que conta ver a situação definida nos próximos dias, até porque terminou o prazo para as inscrições e entrega de documentação na FPF na passada segunda-feira.
Elogiando modelos de gestão de clubes como o Peniche e o Caldas, “que apostam nos valores locais”, João Paulo Francisco tem um percurso ligado à formação. Nos juniores do Torreense treinou vários caldenses na 1ª Divisão nacional, nomeadamente Cascão, Januário e Clemente, além do nazareno Stephen Eustáquio (P. Ferreira).

Joaquim Paulo – Gazeta das Caldas