O CD Fátima SAD faltou ao jogo do passado domingo diante do Caldas SC, averbando assim uma derrota por 3-0, naquele que deveria ter sido o jogo inaugural da série F do Campeonato de Portugal. Em comunicado, a SAD grená acusou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de não ter permitido a inscrição de jogadores em tempo útil, prometendo recorrer às “instâncias” competentes para reverter a situação.
No documento, o CD Fátima SAD informa que “por razões administrativas” não foi permitido inscrever os atletas para que estivessem reunidas as condições para a realização do jogo. “Lamentamos o sucedido, não só pelo esforço que a nossa equipa desenvolveu para se preparar para o encontro, mas também porque sabemos que esta falha não é respeitosa perante o adversário e a equipa de arbitragem”, pode ler-se no comunicado colocado a circular nas redes sociais.
A administração da SAD fez ainda uma cronologia dos acontecimentos, recordando que na fase de inscrição da equipa “sucederam-se inúmeros factos estranhos”. Ainda assim, este obstáculo foi ultrapassado, mas na semana passada os responsáveis “tudo fizeram” para inscrever os jogadores, tendo essa intenção sido “bloqueada por razões sem argumentação e validade, tanto que o impedimento foi retirado e passadas três horas, colocado de novo”.
Ao que o Diário de Leiria conseguiu apurar, na base da decisão da FPF em não autorizar a inscrição de jogadores por parte do CD Fátima SAD poderá estar o facto de dois ex-atletas do emblema fatimense terem interposto uma acção judicial na FIFA, obrigando então a FPF a tomar medidas sancionatórias.
“Existem processos antigos de jogadores que reclamam dívidas junto desta SAD e que, ao abrigo do processo de insolvência nada fizeram. Ora pressupõe que a natural justificação para reclamação de valores poderá estar devidamente consubstanciada. Nesta última semana, apresentámos por diversas vezes os argumentos, junto da FPF, que à margem do processo de insolvência sugeriu que fosse negociado junto desses processos uma solução paralela”, conta a administração.
Contudo, os responsáveis explicam que “não admitem em momento algum actos de chantagem, muito menos violar as tramitações quer do processo de insolvência como dos requisitos normais de inscrição de jogadores”.
Por fim, a administração do CD Fátima SAD admite que este caso está a provocar “danos colaterais” a nível financeiro e de reputação, prometendo “proceder em conformidade nas instâncias” próprias.

Descontentamento caldense
Do lado do Caldas SC, o capitão Thomas Militão deu voz ao descontentamento do gru­po. “É triste chegarmos a este ponto. Temos clubes cumpridores como o Caldas e depois há outros que fazem isto. Mas pronto, não nos cabe a nós avaliar”, ressalvou o defesa central.
A formação caldense vai ter agora duas semanas até poder estrear-se oficialmente na nova época, isto porque ficou isenta da 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, pelo que o primeiro pontapé de saída da temporada 2020/2021 será dado frente ao Sintrense (fora), no dia 4 de Outubro.|

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: CD Fátima SAD