Formação dos Pousos conseguiu responder à desvantagem, mas maior qualidade individual e colectiva do Condeixa acabou por deitar as esperanças por terra. Zero pontos em cinco jogos.

Ao fim de cinco jornadas, o GRAP continua sem motivos para sorrir já que averbou nova derrota caseira frente ao Condeixa por 1-3 e tarda em pontuar. Num jogo de futebol medíocre, valeu ao Condeixa uma boa segunda parte para bater um GRAP voluntarioso, mas sem argumentos.
Os primeiros 45 minutos foram equilibrados e disputados sobretudo no meio campo, sem que nenhuma das equipas conseguisse construir jogadas dignas desses nome e que pudessem levar perigo à baliza contrária. Ainda assim, o Condeixa dispôs de uma oportunidade para abrir o activo quando beneficiou de um pontapé de penalti a castigar falta de João Neves sobre Sandio, na área. Contudo, na cobrança do castigo máximo, Ataíde Júnior atirou forte mas Ângelo fez uma defesa do outro mundo.
O GRAP não se deixou ficar e também ameaçou o golo quando Busqueti acertou no poste na cobrança de um livre directo. Na resposta, o Condeixa Quase festejou quando Yago Carriello apareceu em excelente posição mas o remate do avançado saiu às malhas laterais. Na segunda parte, o Condeixa surgiu com outra disposição e mais pressionante tendo colhido frutos dessa estratégia já que chegou cedo ao golo quando Ataíde Júnior fez um chapéu perfeito a Ângelo para abrir o activo (0-1).
A partir daqui o Condeixa sereno o jogo, tentando controlar a vantagem, mas a turma visitante não contava que o GRAP
respondesse bem ao golo sofrido, tendo chegado ao empate num lance muito bem trabalhado, com Tomaselli a servir de bandeja João Furtado que só teve de encostar à boca da baliza.
O jogo e o resultado estavam relançados, mas os sorrisos dos homens da casa duraram pouco tempo já que Ataíde Júnior voltou a abrir o livro e, com um remate ao ângulo, voltou a colocar o Condeixa em vantagem. Com pouco tempo para jogar o GRAP tentou o tudo por tudo para chegar ao empate, mas foi surpreendido numa transição rápida em que Leo serviu Fernandinho para o 1-3 final.
Arbitragem com vários erros do trio de arbitragem lisboeta, mas sem influência no resultado. O penálti que beneficiou
o Condeixa pareceu demasiado forçado e há um lance na área dos visitantes, antes do intervalo, que deixou muitas dúvidas.

GRAP 1
Ângelo Martins, Daniel Gregório, Nuno Santos, João Neves, Denilson, Capão, Busqueti, Luisinho (c) (João Furtado, 62’), Tomaselli (Vítor Pedro, int.) (Pedro Lima, 85’), Marcos Vareta (Bacar Sanhá, int.), Jonathan Moises (Ventoinha, 62’).
Não jogaram: João Souza, Daniel Pinto.
Treinador: Rodolfo Reis.

Condeixa 3
Vítor Nogueira, Miguel Melo, Luís Oliveira, Mateus Lima (c), Bruno Beato (Fernandinho, 68’), Sandio (Bernardo, 78’), Rui Rodrigues (Neves, 90+3’), Veiga (Gonçalo Chaves, int.), Juan Leite, Ataíde Júnior, Yago Carrielo (Leo, int.).
Não jogaram: Dias, Tiago Crachat.
Treinador: Flávio das Neves.

Campo da Charneca, Pousos
Árbitro: Rúben Teles (AF Lisboa).
Assistentes: João Pinto e Roberto Tavares.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 Ataíde Júnior (51’), 1-1 João Furtado (75’), 1-2 Ataíde Júnior (80’), 1-3 Fernandinho (84’).
Disciplina: Amarelo a Nuno Santos (30’), Bruno Beato (39’), Leo (54’), Rui Rodrigues (71’), Denilson (73’), Ataíde Júnior (90+1’).

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luís Filipe Coito