AC Marinhense 1
Tomas Bozinoski, Habib Sylla (João Silva, 87′), Diogo Vieira, Roberto Cunha, Guilherme Quichini, China, André Sousa (c), Arthur Sanaduva (Joaquim Domingos, 87′), Leonel Alves (Igor, 90’+5), Miguel Baptista (Miguel Vinagre, 75′), Adul Seidi (Miguel Velosa, 90’+5).
Não Utilizados: Jair Mosquera, Sinisterra.
Treinador: Pedro Gandaio.

Sertanense FC 0
Leo Turossi, Miguel Pinéu (c) (Katty, 77′), Luís Martins, Sunday, Ibouka, João Silva, Vítor Rocha, Doukoure, Cyrille (Iago, 77′), Matheus Barbosa (Nicolas, 87′), Bruno Eduardo.
Não Utilizados: Lucas Fernandes, César, Landry, Meira.
Treinador: Natan Costa.

20ªJornada do Campeonato de Portugal / Série E.
Estádio Municipal da Marinha Grande
Assistência: Sem espectadores.
Árbitro: Marco Cruz.
Auxiliares: Sérgio Ribeiro e Filipe Fernandes.
Ao Intervalo: 0-0
Marcadores: 1-0 Leonel Alves (70′).
Ação Disciplinar: Amarelo a Guilherme Quichini (24′), Cyrille (42′), Miguel Pinéu (60′), Miguel Baptista (71′), Habib Sylla (72′).

No jogo que marcou a estreia do novo treinador, Pedro Gandaio, o Marinhense recebeu e venceu o Sertanense por 1-0. Leonel Alves marcou o único golo da partida.
Com a curiosidade extra de se ver este novo Marinhense, agora comandado por Pedro Gandaio – após a saída de Tiago Vicente – o jogo começou num ritmo lento, com a bola sempre longe das balizas. Apesar disso, logo aos 8′, e num lance aparentemente inofensivo, surge o primeiro lance de relativo perigo, com Adul Seidi a aproveitar um lançamento longo de Habib Sylla, mas o desvio, em plena pequena área, saí ligeiramente ao lado.
O Marinhense tinha mais bola, mas com as equipas muito encaixadas e a jogarem em sistemas muitos semelhantes, a bola raramente surgia em zonas que pudessem causar perigo. Apesar do aparente controlo do jogo por parte do Marinhense, a equipa do Sertanense FC quando atacava, fazia-o sempre de uma forma muito mais objectiva, optando quase sempre por explorar a velocidade de Cyrill no seu flanco esquerdo.
E foi assim, que aos 30′, Cyrille ganhou uma vez mais em velocidade na esquerda, colocou em João Silva, que remata perigoso, mas longe do alvo. O Sertanense estava agora no seu melhor período no jogo, e pouco depois vai dispor de uma ocasião soberana, com Cyrille a aparecer na cara de Tomas Bozinoski, mas o desvio subtil, sai ligeiramente ao lado, mas ainda a tirar tinta ao poste da baliza da equipa da casa. Pouco depois, novo lance de perigo, desta vez é Miguel Pinéu que desequilibra na direita, e num último momento, a defesa do Marinhense, consegue um precioso corte para canto. Apesar destes lances quase sucessivos, a equipa de Natan Costa não conseguiu tirar proveito dos mesmos, e o empate ao intervalo, castigava o desperdício atacante da equipa da Sertã.
A etapa complementar recomeça na mesma toada, e praticamente com um lance de muito perigo para a equipa do Sertanense. Bola lançada para a área, Tomas Bozinoski não segura à primeira, com o central Sunday, na recarga, a cabecear ao lado, quando tinha tudo para fazer o golo. Pouco depois, novo livre a favor do Sertanense, com João Silva a obrigar Tomas Bozinoski a uma defesa apertada. Apesar destes lances, o Marinhense não tardou a responder e pouco depois, numa jogada de insistência, Adul Seidi endossa a bola em Miguel Baptista, com o remata forte a acabar prensado por um defesa, e a sobrar para Leonel Alves, que remata forte, mas muito torto. O jogo parecia estar agora numa fase mais interessante, e o Marinhense voltava novamente a estar por cima na partida, pelo pelo que não foi de estranhar que aos 70′ vá mesmo chegar à vantagem. Leonel Alves opta pelo lance individual na direita, passa por dois adversários e já dentro da área, remata forte e colocado para o 1-0. Em vantagem no jogo, e com o relógio a seu favor, o Marinhense foi controlando o resto da partida, e apesar das tentativas do Sertanense em chegar ao empate, raramente a equipa de Natan Costa voltou a criar perigo, e vai mesmo pertencer ao Marinhense o lance de maior perigo, com Adul Seidi, já em tempo de compensação, a falhar o que poderia ser o 2-0 na partida.
Num jogo em que o empate não escandalizaria, o Marinhense viu premiada a sua eficácia ofensiva e garantiu assim três importantes pontos na luta pelos seus objectivos. Sertanense só se pode queixar de si próprio, pois dispôs de ocasiões de golo, que lhe poderiam valer um outro resultado.
Excelente arbitragem do trio comandado por Marco Cruz.

Diário de Leiria, 15 de Março de 2021