AC Marinhense 0: Tomas Bozinoski, João Silva (Joaquim, 58′) , Roberto, Guilherme, Sinisterra, Miguel Velosa, Arthur Sananduva (Miguel Vinagre, 84′), André Sousa (c), Cláudio Ribeiro, Leonel Alves, Miguel Baptista (Igor Sevivas, 63′).
Não Utilizados: Jair Mosquera, Diogo Vieira, Adul Seidi, João Mendes.
Treinador: Pedro Gandaio.

FC Alverca 3: José Costa, Jorge Bernardo, Leonardo Bolgado, João Freitas, David Dinamite, Eurico Lima, Tiago Morgado (Gabriel de Moraes, 82′), Luís Pinto (c) (Carlitos, 82′), Angel Torres (Pedro Venaque, 82′), Sérgio Santos (Tiago Gomes, 75′).
Não Utilizados: Joel Dias, Caiser Gomes, Hugo Ventosa.
Treinador: Toni Pereira.

Estádio Municipal da Marinha Grande
1.ªjornada da Série 6 de Acesso à 3.ªLiga
Assistência: Sem espectadores
Árbitro: João Santos.
Auxiliares: Marco Silva e Nuno Severa.
Ao intervalo: 0-2
Marcadores: 0-1 Leonardo Bolgado (30′), 0-2 Felipe Ryan (33′), 0-3 Luís Pinto (49′).
Acção Disciplinar: Nada a registar.
Frente a um adversário que lutou até à última jornada por estar presente na Liga 2, o AC Marinhense não teve argumentos e a vitória do FC Alverca ajusta-se na plenitude ao que foi o jogo dentro das quatro linhas.

O jogo começou numa toada equilibrada, com as duas equipas a privilegiarem a posse de bola, pelo que só perto doas 15′ vai surgir o primeiro lance de algum perigo, num remate de bastante longe de Felipe Ryan que levou algum perigo junto da baliza de Tomas Bozinoski. Se em termos de posse de bola, até esta fase, as equipas se equivaliam, o FC Alverca ia dando mostras de ser sempre mais pragmático ofensivamente e aos 30′ vai materializar isso mesmo em golo. Canto estudado na direita, a defesa do Marinhense tarda a reagir, com a bola cruzada para o interior da área, onde o possante Leonardo Bolgado ganha nas alturas e inaugura o marcador. O Marinhense sentiu o golo, e pouco depois novo golpe nas ambições da equipa de Pedro Gandaio. Aos 33′, e no seguimento de uma jogada de insistência da equipa do FC Alverca, a bola chega a Felipe Ryan na pequena área, que à vontade faz o 0-2. Nesta fase o FC Alverca era dono e senhor do jogo e ainda antes do intervalo, aos 44′, Sérgio Santos vai estar muito perto do golo, valeu uma defesa algo ortodoxa de Tomas Bozinoski para canto.
O intervalo parece ter sido bom conselheiro para a equipa da casa e praticamente no recomeço, Leonel Alves, um dos mais inconformados, tem um lance de insistência e com um remate forte, leva o perigo junto da baliza de José Costa. Apesar deste lance, melhor fez o FC Alverca na jogada praticamente seguinte. Lance de insistência na direita, com a bola a chegar a Luís Pinto no interior da área e este. à vontade, fez o 0-3 e praticamente sentenciou a partida. A partir daqui, o jogo entrou numa toada mais desinteressante, pois se por um lado o Marinhense não encontrava argumentos reais para ameaçar a baliza de José Costa, por outro lado, o FC Alverca em clara vantagem na partida, ia procurando gerir o jogo, sem grandes pressas e a deixar os minutos passarem. Ainda assim, vão pertencer novamente ao FC Alverca os dois lances mais perigosos nesta fase da partida, com Tomas Bozinoski a evitar males maiores para a sua baliza, primeiro num remate de muito longe de Felipe Ryan e aos 76′, num remate com selo de golo de Luís Pinto. Apesar destes lances, o resultado final não se alteraria, e o FC Alverca garantiu assim uma vitória tranquila na Marinha Grande, perante uma equipa do Marinhense que precisa de fazer mais, para continuar a sonhar com o acesso à Liga 3 em 2021-2022.
Boa arbitragem do trio comandado por João Santos.

Foto: AC Marinhense.