SC POMBAL 3
Lionel; Vasco Cruz, Miguel Cá (c), Dani, Duary; Tião, Rafael Abreu, Vasco Pontes (Dudu, 67’); Airton (Luís Pereira, 77’), Guilherme (Yuri, 87’), Pedro Marques.
Não jogaram:Duarte, Bruno Lopes, Alexi, Yannick.
Treinador:Ricardo Pateiro.
.
AD PORTOMOSENSE 2
Mocheco; Lagoa, Raul Avinte, Filipe Almeida (Jonathan, 77’), Caracol (Edgar Alves, 54’); Gabi, Rica (c), Vieirinha; Dany Marques, Pedro Domingues (Peterson, 54’), Pedro Emanuel (Leandro, 41’).
Não jogaram:Diogo Soares, Prata, Zé Correia.
Treinador: Pedro Solá.
.
Estádio Municipal de Pombal
Árbitro: Ricardo Nobre.
Assistentes: David Domingos e Sandro Guerra.
Ao intervalo: 1-1.
Golos: 0-1 Vieirinha (24’), 1-1 Pedro Marques (43’), 2-1 Guilherme (51’, p.), 3-1 Guilherme (87’, p.), 3-2 Dany Marques (89’).
Disciplina: Amarelo a Pedro Domingues (20’), Guilherme (35’), Vasco Cruz (38’), Rica (66’), Peterson (69’), Pedro Marques (72’), Lagoa (75’), Duary (83’), Mocheco (86’).

SC Pombal soube aproveitar da melhor forma as oportunidades que teve colocando-se na ‘pole position’ para discutir o título distrital. Dois penaltis para os leões acabaram por ser decisivos.

O SC Pombal recebeu e bateu (3-2) a AD Portomosense, numa partida equilibrada mas sempre bem disputada. Os comandados de Ricardo Pateiro souberam aproveitar melhor as suas oportunidades e tiveram mérito nisso, no entanto
os visitantes, pelo que fizeram, mereciam algo mais. A partida começou equilibrada, mas pertenceu à equipa da casa o primeiro remate, mas Vasco Pontes atirou sobre a barra. O Portomosense respondeu quando uma bola sobrou para Vieirinha que disparou de longe para boa intervenção de Lionel. Com o passar do tempo, os visitantes passaram a ser superiores mas desperdiçaram alguns lances de golo. Lagoa com uma forte cabeçada fez a bola rasar o poste, respondendo a um canto de Dany Marques. Rica, de meia distância, fez a bola morrer nas mãos de Lionel e ainda um remate de ressaca de Dany Marques
passou muito perto do ferro.
Até que na cobrança de um livre lateral, Vieirinha colocou a bola no interior da baliza, sem que ninguém lhe tivesse tocado, e adiantou a ADP no marcador. O Pombal tentou responder mas foi na sequência de uma má reposição dos forasteiros que surgiu a sua melhor oportunidade, quando Guilherme recuperou a bola em zona proibida e atirou com estrondo à trave.
Os homens de Pateiro ganharam confiança e podiam ter empatado na sequência de um passe de ruptura que isolou Vasco Cruz, mas Mocheco esteve enorme a desviar para canto. Canto esse que resultou no empate: no meio da confusão Pedro Marques não desperdiçou (1-1). Em cima do intervalo, uma falha de Lionel deu a oportunidade a Dany Marques e em seguida a Vieirinha de fazer golo, no entanto, o guardião da casa redimiu-se com duas enormes paradas.
A segunda parte abriu, praticamente com o penálti que colocou o Pombal em vantagem, convertida por Guilherme (2-
1). Os homens de Pedro Solá não baixaram os braços, mas tanto Peterson como Gabi falharam o alvo por pouco. Com os visitantes balanceados no ataque, o SC Pombal saiu muitas vezes em transição e Guilherme, em velocidade, podia ter aumentado por duas vezes. Primeiro o remate não saiu longe do alvo e depois foi Mocheco a resolver o lance. Depois das ameaças, o golo surgiria de penálti, convertida com sucesso, novamente por Guilherme. Perto do fim, Dany Marques ainda deu esperança ao conjunto de Porto de Mós, com uma cobrança exímia de um livre, à entrada da área, fixando o resultado em 3-2, mas já era tarde.
O trio de arbitragem chefiado por Ricardo Nobre teve uma actuação algo confusa, prejudicando aquilo que podia ter sido uma melhor partida de futebol.|

Pedro Sousa – Diário de Leiria
Foto: Onda Certa