Em jogo fraco e com muito poucas oportunidades de golo, o GD Nazarenos fez valer a sua maior experiência, e venceu por 1-2 a jovem equipa do Marinhense B. O empate não escandalizaria ninguém, mas os forasteiros acabaram por justificar o triunfo pela eficácia e pragmatismo demonstrado.
O jogo começou equilibrado, mas num ritmo desinteressante, com as duas equipas a colocarem pouca intensidade nos lances.
Apesar do aparente equilíbrio, o Nazarenos era sempre mais objectivo quando tinha a bola e não foi de estranhar que tivesse chegado ao golo: após uma recuperação de bola, esta chegou a Gonçalo Estrela que, com calma, fez um belo chapéu a Jorge.
Em vantagem e com jogadores mais experientes, o Nazarenos foi controlando o ritmo da partida e só aos 40′ sofreu o primeiro susto quando André Jorge ganhou em velocidade à defensiva do Nazarenos, mas, já em esforço, Carlos Marques conseguiu uma brilhante recuperação e evitou o perigo. Na resposta, foi André Amaro que ganhou posição dentro da área, mas, no momento do remate e quando tinha tudo para fazer o golo, perdeu muito tempo e a defesa vidreira limpou o lance.
A etapa complementar começou com o Nazarenos novamente por cima no jogo e, aos 53′, Giovani, no seguimento de um canto, ficou muito perto do golo, mas o seu colega de equipa, Carlos Marques, involuntariamente, impediu que o Nazarenos chegasse ao 0-2. Ficava o aviso, e aos 58′, e na marcação de um penálti, Hércules não vacilou e fez o 0-2.
Apesar do golo sofrido, o Marinhense reagiu bem, e aos 63′, Norte teve um excelente lance individual na direita e cruzou para Dinis que fez um grande golo e relançou a partida.
O Marinhense B galvanizou-se com o golo e, pouco depois, aos 73′, Norte cruzou para André Jorge que, em excelente posição, acabou por não aproveitar o lance.
Com os minutos a passarem, o Nazarenos foi procurando gerir a vantagem, mas ainda teve tempo para novo susto, já em tempo de compensação, quando Francisco Leal assistiu Norte que, isolado na esquerda, teve o empate nos pés, mas viu Danilo Mota fazer uma saída corajosa e garantir a vitória nazarena.
Quanto à arbitragem de Ricardo Nobre, foi como o jogo: muito fraca. Num jogo pacífico e sem grandes casos, conseguiu expulsar três atletas e mostrar amarelo a mais oito, num trabalho para esquecer a nível disciplinar.|

AC Marinhense ‘B’ 1
Jorge, José (Frias, 76′), Rudy Coelho, João Vítor, Bryan (Rodrigo Castro, 76′), Flávio Pedrosa, Dinis (c), Xico (Renato, 60′), Francisco Leal, André Jorge, Tiago Pires (Norte, 60′).
Não jogaram: Pedro, Sérgio Domingues, João Casaca.
Treinador: Leandro Falé.

GD Nazarenos 2
Danilo Mota, Kaike, Rodrigo (Miguel Germano, 64′), Carlos Marques, Daniel Soares (c), Giovani, André Cruz, Hércules (Vítor Elias, 78′), Francisco Mota, André Amaro (Gustavo Fachine, 90′), Gonçalo Estrela (Carioca, 78′).
Não jogaram: Elias, André Piló.
Treinador: Francisco Mota.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Ricardo Nobre. Assistentes: Rafael Dinis e Beatriz Vouga.
Ao intervalo: 0-1. Espectadores: 100.
Golos: 0-1 Gonçalo Estrela (20′), 0-2 Hércules (58′, p.), 1-2 Dinis (63′).
Disciplina: Amarelo a Rodrigo (34′), André Jorge (45+2’ e 83′), Giovani (54′ e 85′), Bryan (56′), Rudy Coelho (56′ e 64′), Renato (73′), Francisco Leal (75′), André Amaro (84′), Carioca (90′), Miguel Germano (90+3’), Danilo Mota (90+3’).Vermelho por acumulação a Rudy Coelho (64′), André Jorge (83′), Giovani (85′).

Texto e foto: Pedro Almeida – Diário de Leiria