Num jogo repleto de incidências e onde os nervos estiveram sempre à flor da pele, o Alqueidão da Serra fez valer a sua maior experiência, e mesmo reduzida a dez unidades desde os 44′, conseguiu a reviravolta no marcador, vencendo o Marinhense B por 1-4.
O jogo começou num ritmo bastante intenso, com as duas equipas a optarem por um jogo directo e com a bola a estar sempre perto das duas balizas. Logo aos 10′, Zarantonello, com um remate espontâneo de muito longe, deixou a primeira ameaça à baliza serrana.
A partir daqui o jogo entrou numa fase de muitas paragens por lesão e quezílias, pelo que o nulo arrastou-se até ao intervalo.
A etapa complementar começou com bastante intensidade e depois de uma primeira ameaça vidreira, respondeu Vasco Gonçalves que colocou o guardião Jorge à prova. Pouco depois, novo lance de perigo para os serranos, com Danny Esteves a fazer tudo bem dentro da área, mas o remate falhou o alvo.
O jogo seguia num ritmo frenético e, na resposta, o Marinhense chegou ao golo com Francisco Leal, na insistência, a conseguir inaugurar o marcador. Pouco depois, esteve à vista o segundo golo vidreiro, mas Ângelo defendeu um bom remate de Serginho.
Em desvantagem, e reduzido a dez unidades, o Alqueidão da Serra fazia pela vida e, aos 71′, Rodrigo Nogueira, dentro da área, fez à vontade o 1-1.
O AC Marinhense B sentiu e de que maneira o golo sofrido, e dois minutos depois, Vasco Gonçalves assinou a reviravolta (1-2).
Com o jogo ‘partido’ e a equipa da casa desorientada, aproveitou o Alqueidão da Serra para ampliar a vantagem, com Luís Gonçalves a fazer o 1-3 após assistência de Rodrigo Nogueira, e para Vasco Gonçalves fixar a contagem final de 1-4, após assistência de Luís Gonçalves.
Quanto à arbitragem de Eduardo Brites, muito contestada pelas duas equipas, foi bastante irregular, ainda que, sem influência no marcador. Optou por um critério disciplinar muito curto no início do jogo, mas acabou por nunca mais conseguir manter o critério, levando a enormes incongruências. Tarde para esquecer de um dos bons árbitros do distrito.|

AC Marinhense B 1
Jorge Oliveira, José Baptista, João Vítor, Rudi Coelho, Flávio Pedrosa (c) (Benjamim, 21′), Bryan Pereira, Wilker Furtado, Francisco Leal (Norte, 77′), Vasco Lopes, Stefano Zarantonello (Serginho, 42′), Francisco Marques.
Não jogaram: Tiago, Pedro Alexandre, Daniel, Tiago Pires.
Treinador: Leandro Falé.

CCR Alqueidão Serra 4
Ângelo Martins, Fred Machado, Kiko, David Marques, Luís Gonçalves, Tiago Claro (Tiago Cerejo, 90’+2), Dady Valente (c) (João Matos, 83′), Mantorras, Rodrigo Nogueira, Danny Esteves (Gui Lopes. 67′), Vasco Gonçalves.
Não jogaram: Capão e Jackson.
Treinador: Filipe Faria.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Eduardo Brites. Assistentes: Telmo Capitaz e Gonçalo Alfaiate.
Espectadores: 180. Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 Francisco Leal (60′), 1-1 Rodrigo Nogueira (71′), 1-2 Vasco Gonçalves (73′), 1-3 Luís Gonçalves (80′), 1-4 Vasco Gonçalves (87′).
Disciplina: Amarelo a João Vítor (4′), Francisco Marques (9′), Mantorras (26′ e 44′), Rudi Coelho (80′), Wilker Furtado (86′). Vermelho por acumulação a Mantorras (44′).

Texto: Pedro Almeida – Diário de Leiria
Foto: ACM