A UD Leiria terminou a fase regular da Liga 3 com um triunfo arrancado a ferros no clássico frente ao Caldas SC, por 2-3, num jogo em que a rivalidade entre os dois emblemas do distrito de Leiria ficou bem patente dentro das quatro linhas, com o resultado a ficar fixado no último lance da partida.
Os primeiros 45 minutos tiveram poucos motivos de interesse porque o perigo andou quase sempre arredado das balizas. O Caldas, com uma pressão intensa a campo inteiro, condicionava a primeira fase de construção da UD Leiria, que não conseguia ligar o seu futebol. Do lado caldense, apesar da sua maior acutilância ofensiva, nunca conseguiu incomodar o último reduto leiriense.
O momento alto da primeira parte aconteceu ao minuto 37 quando André Perre cobrou um livre directo à entrada da área, para um golo de belo efeito, num lance em que Bozinoski podia ter feito algo mais para impedir o golo.
O melhor que a UD Leiria conseguiu fazer nesta fase foi um remate à entrada da área de Diogo Amado, que passou por cima da barra. Muito pouco para o líder do campeonato.

Na segunda parte tudo mudou
Na segunda parte a UD Leiria com uma atitude completamente diferente, muito mais pressionante e dinâmico em termos ofensivos, pelo que foi sem surpresa que se foi acercando da área contrária até chegar ao golo do empate. Na sequência de um lançamento lateral, Diego Galo fez um pontapé de bicicleta para a área que teve a felicidade de encontrar Kikas que dominou a bola e atirou para o fundo das redes (1-1).
A partir daqui o jogo ficou mais dividido e com o equilíbrio a ser a nota dominante. Assim, o perigo andou quase sempre arredado das duas balizas até que, a 15 minutos do fim, num lance individual de génio de Nuninho, o extremo tirou vários adversários do caminho até ao remate final, consumando a reviravolta no marcador (1-2).
A partir daqui, o Caldas tomou conta do seu meio-campo ofensivo, perante uma UD Leiria totalmente encolhida no sentido de tapar todos os caminhos para a sua baliza. Assim, a três minutos dos 90, o Caldas beneficiou de um pontapé de penalti a castigar falta de Diego Galo na área, num lance que deixou muitas dúvidas. Na cobrança do castigo, o goleador João Rodrigues restabeleceu a igualdade, para gáudio das hostes locais.
No pouco tempo que ainda havia para jogar, a UD Leiria foi a única equipa a mostrar-se inconformada pelo empate e foi recompensada por isso. No último lance do desafio, numa bola colocada na área por Jair Silva, Kaká teve oportunidade para rematar de primeira, com Luís Paulo a conseguir desviar, mas, ao segundo poste, apareceu Gonçalo Gregório a empurrar para o 2-3 final, numa fase em que o Caldas já jogava em inferioridade numérica por expulsão de Juvenal.|

Caldas SC 2
Luís Paulo, Juvenal, André Sousa, Militão (c), Yordi (André Santos, 63’), Diogo Clemente, Vítor Rodrigues (André Simões, 63’), Luís Farinha (Afonso Silva, 63’), Nuno Januário (Marcelo Marquês, 80’), André Perre, João Rodrigues.
Não jogaram: Rui Oliveira, Paulo Inácio, Tiago Catarino.
Treinador: José Vala.

UD Leiria 3
Bozinoski, João Dias (c) (Jonatas, 90+1’), Diego Galo, Filipe Almeida, Kaká, Babanco (Benny, 90+1), Diogo Amado (Ragner Paula, int.), Jair Silva, Nuninho (Renato Alexandre, 78’), Kikas (Kuca, 78’), Gonçalo Gregório.
Não jogaram: Fábio Ferreira, Namora.
Treinador: Bino Maçães.

Campo da Mata, Caldas da Rainha
Árbitro: Pedro Ramalho (AF Évora).
Assistentes: Jorge Roque e João Letras.
Espectadores: 1.600.
Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 André Perre (37’), 1-1 Kikas (49’), 1-2 Nuninho (77’), 2-2 João Rodrigues (88’), 2-3 Gonçalo Gregório (90+5’).
Disciplina: Amarelo a Yordi (17’), Babanco (36’), João Dias (55’), Diogo Clemente (66’), Juvenal (72’ e 86’), Filipe Almeida (86’).Vermelho por acumulação a Juvenal (86’).

Texto: José Roque – Diário de Leiria
Foto: Luís Filipe Coito