O Bombarralense conseguiu ontem uma brilhante vitória na Serra por 4-5, e adiou a decisão do título para a última jornada, onde Sporting de Pombal e UD Serra se vão defrontar e decidir quem será o campeão da Divisão de Honra.
Com a possibilidade de garantir neste jogo o título distrital, a UD Serra entrou a todo o gás na partida e logo aos 5′, Danny Marques cria muito perigo, no seguimento de um livre estudado. Pouco depois, aos 10′, Danny Marques tem um lance brilhante na esquerda, passa por vários adversários e por muito pouco Aliu Camara não consegue inaugurar o marcador. A UD Serra parecia ter pressa em resolver a partida, mas apesar disso, o Bombarralense ia mostrando que não estava aqui para festas, e aos 15′ no seguimento de um remate forte, a bola sobra para Ricardo Espírito Santo, que oportuno, faz o 0-1 para o Bombarralense. Pouco depois, novo balde de água fria no Campo da Portela, com Rafa Lourenço a responder da melhor forma a um livre cruzado e de cabeça faz o 0-2. Mas o jogo estava intenso e não foi preciso esperar muito para novo golo. Jogada de insistência da UD Serra e já depois da bola bater no poste da baliza de Sérgio Nobre, Danny Marques encosta para o 1-2 e relança a partida.
O jogo continuou a um ritmo frenético, bola cá, bola lá, mas paulatinamente a UD Serra foi conseguindo novamente tomar as rédeas da partida. Com homens muito rápidos nas alas, a equipa de Carlos Jorge ia fazendo pela vida, ainda que pela frente fosse encontrando uma equipa do Bombarralense bastante personalizada, com uma enorme coesão e que sabia bem ao que vinha.
Tal como tinha feito na etapa inicial, a UD Serra voltou a entrar a todo o gás na etapa complementar e aos 50′ vai chegar ao empate, com Miguel Pereira a converter da melhor forma, uma grande penalidade que o próprio tinha sofrido.
Pouco depois, aos 53′, novo golo para a equipa da casa, num livre de Rafael Matias, com toda a gente à espera de um desvio, mas a bola entra directamente na baliza de Sérgio Nobre, com a UD Serra em vantagem na partida pela primeira vez. Mas o Bombarralense estava longe de se render, e aos 60′ Gonçalo Pegas isola-se, valeu David Santos com uma enorme defesa para canto. Mas no seguimento do canto, mais uma vez Rafa Lourenço a antecipar-se a toda a gente e novamente de cabeça, a fazer o 3-3.
Mas o jogo não parava, antes pelo contrário, seguia a um ritmo de loucos e pouco depois, Miguel Pereira trabalha bem à entrada da área e com um grande remate faz o 4-3, levando o Campo da Portela à loucura. Tudo parecia querer que a UD Serra seguia embalada para o Campeonato de Portugal. Mas o jogo estava longe de terminar, e aos 68′, Bernardo Silva aproveita um cruzamento rasteiro ao poste contrário, e encosta fácil para o 4-4. Com o resultado novamente desfavorável para os seus intentos, a UD Serra passou a pressionar mais, mas nesta fase o Bombarralense ia conseguindo controlar a partida e aos 84′, o possante Ricardo Espírito Santo aproveita um livre bombeado para a área e de cabeça antecipa-se a toda a gente e faz o 4-5. Enorme balde de água fria em Santa Catarina da Serra, com a equipa da casa ainda a procurar responder nos últimos minutos de jogo e já com o talis­mã Pedro Emanuel em campo, mas nesta fase já o fazia com pouco discernimento, sempre com demasiada pressa, o que facilitou a tarefa dos comandados de Luís Lopes, que menos pressionados, conseguiram garantir assim uma brilhante vitória, num jogo que deveria ficar para os anais do futebol distrital.
Vitória que se aceita da equipa do Bombarralense, que menos pressionada, soube fazer o seu jogo, nunca perdendo o norte ao que queria fazer e ao seu modelo de jogo, perante uma equipa da UD Serra que acaba por pagar caro de mais algum desnorte defensivo nos momentos fulcrais, e onde pareceu acusar alguma pressão psicológica, tendo em conta que uma vitória poderia significar o título da Divisão de Honra. Boa arbitragem de Taras Khrobatyn, um árbitro discreto, mas que semana após semana vai mostrando a sua qualidade.

Uma palavra final para a claque da UD Serra, os Ultras Serranos, que grande espectáculo deram. Mais ainda quando Bernardo Silva se lesionou no que parecia ser uma lesão bastante grave, e onde, esquecendo as rivalidades e o que estava em causa neste jogo, prontamente aplaudiram o seu adversário, com um fair-play que merece referência. |

UD Serra 4
David Santos, Pedro Gordo (Pedro Emanuel, 80′), Célio Pereira, Celso Vieira, Patrick (Moreiras, 89′), Rafael Matias, Sandro, Miguel Neves (c) (Marcos Santos, 80′), Aliú Camará, Miguel Pereira, Danny Marques.
Não jogaram: Makê, Dércio Ribeiro, Dani Silva, Nuno Reis.
Treinador: Carlos Jorge.

SCE Bombarralense 5
Sérgio Nobre, João Duarte (Marcel Rosas, 69′), Bernardo Silva (Papa Sá, 77′), Marco Duarte, Rafa Lourenço, Diogo Mil-Homens, Cassimiro (Sílvio, 69′), Marcelo Santos, Diogo Rodrigues (João Martins, 90′), Gonçalo Pegas (Rúben Santos, 90′), Ricardo Espírito Santo.
Não jogaram: Natalino, Silvério.
Treinador: Luís Lopes.

Campo da Portela, em Santa Catarina da Serra
Árbitro: Taras Khorbatyn.
Assistentes: Carlos Crespo e Pedro Duarte.
Espectadores: 800.
Ao intervalo: 1-2.
Golos: 0-1 Ricardo Espírito Santo (15′), 0-2 Rafa Lourenço (19′), 1-2 Danny Marques (23′), 2-2 Miguel Pereira (gp) (50′) , 3-2 Rafael Matias (53′), 3-3 Rafa Lourenço (61′), 4-3 Miguel Pereira (65′), 4-4 Bernardo Silva (68′), 4-5 Ricardo Espírito Santo (84′).
Disciplina: Amarelo a Bernardo Silva (38′), Cassimiro (40′), Pedro Gordo (70′), Rúben Santos (90’+2), Moreira (90’+3).

Texto: Pedro Almeida – Diário de Leiria
Foto: Luís Filipe Coito