No grande jogo da jornada, Portomosense recebeu no seu reduto o até então líder do campeonato, num encontro muito disputado, num relvado em mau estado, onde os donos da casa venceram pela margem mínima um forte opositor, com a reviravolta a ser consumada numa segunda parte bem conseguida.
Com um começo de jogo algo atabalhoado, o perigo andou longe das balizas nos instantes iniciais, até que ao minuto 21, com os anfitriões com sinal mais, num momento de frisson, na área dos Marrazes, um cruzamento/remate de Alexandre Cruz, fez com que Marcelo Carvalho defendesse com dificuldade e, na recarga, Filipe Santiago voltou a testar a atenção do guardião forasteiro.
Numa fase de maior equilíbrio, os visitantes mostraram eficácia, com André Augusto numa execução rápida de um livre a meio campo, endossou o esférico para a progressão de Rodrigo Pereira, que por sua vez assistiu Macrino Santos, que com uma finta sentou um adversário antes de atirar forte com o pé esquerdo, abrindo o ativo para os Marrazes.
Os visitados sentiram o tento sofrido e não mais se acercaram com perigo na área adversária até ao apito para o descanso. O reatamento começou vivo e, logo no primeiro minuto, Pedro Domingues com um forte remate fora da área proporcionou boa defesa a Marcelo Carvalho.
Do lado contrário foi Rodrigo Pereira que ia aproveitando uma falha de Rodrigo Rodrigues, com este a emendar o seu erro numa última instância. Pouco depois, bela jogada coletiva conduzida por Migas, com Nuno Joaquim a cruzar para Rodrigo Pereira que já em esforço atirou fraco para defesa do guardião da casa (59`), naquela que foi a melhor oportunidade de golo dos visitantes na segunda etapa.
Depois de uma fase mais faltosa do jogo, também justificada com a degradação do relvado, onde não favorecia o futebol mais técnico da formação visitante, mas com o Portomosense na mó de cima, o último quarto de hora acabou por ser negativo para os forasteiros, pois viram a vantagem no marcador se esfumar em dez minutos, onde a igualdade surgiu pela cabeça de Pedro Domingues, após belo cruzamento da esquerda, com o esférico a embater ainda no poste antes de entrar. Estava assim reposta a igualdade, com alguma justiça, diga-se.
O golo moralizou ainda mais as hostes dos da casa e Rica, com um passe longo para Bryan Pereira isolado, atirou de primeira para uma extraordinária defesa de Marcelo Carvalho (83`).
Corolário desse ascendente e, na sequência do canto, Caio Prado solto de marcação, ao segundo poste, atirou a contar para o 2-1.
Até ao final, os comandados de Bruno Veloso correram atrás do prejuízo, mas já sem o discernimento necessário para alterar o rumo dos acontecimentos, com a vitória importante a ser consumada pelo Portomosense, que ainda reclamaram a marcação de um penalti no segundo tempo (por mão na bola), numa decisão onde damos o benefício de dúvida ao árbitro do encontro, onde teve um trabalho com alguns erros, mas globalmente positiva. |

AD Portomosense 2
Rodrigo Rodrigues, Daniel Gregório, Gabriel Justino, André Amores, Francisco Felizardo, Caio Prado, Denis Mota, Filipe Santiago (Rui Pires, 88`), Rica (c), Pedro Domingues (Bryan Pereira, 88`) e Alexandre Cruz (Alexis Rodrigues, 50`). Não jogaram: Carapinha, João Matias e João Pires.
Treinador: Luis Neto.

SCL Marrazes 1
Marcelo Sousa, Daniel Ribeiro, Chiquinho (c), André Oliveira (Rúben Fernandes, 59`), Gigi (Rodrigo Pedrosa, 66`) Migas, André Augusto (Tiago Clemente, 87`), Luís Sobreira (Yassine Kalda, 66`), Macrino Santos, Rodrigo Pereira, Nuno Joaquim (Lukas Fonseca, 87`). Não jogaram: Skoda e Aniceto.
Treinador: Bruno Veloso.

Estádio Municipal de Porto de Mós.
Espetadores: 200.
Árbitro: Taras Hkrobatyn.
Auxiliares: Ricardo Nobre e Daniel Sá.
Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Macrino (39`), 1-1 Pedro Domingues (75`), 2-1 Caio Prado (84`).
Disciplina: Amarelo a Chiquinho (28`), Gonçalo Gregório (31`), André Augusto (35`), Caio Prado (77`), Denis Mota (77`), André Amores (81`), Lukas Fonseca (90+1`), Tiago Clemente (90+2`).

Texto: Fábio Osório – Diário de Leiria