O Beneditense, ainda à procura da primeira vitória no campeonato, arrancou um precioso empate diante do SC Pombal que procurava igualmente encontrar-se com o caminho das vitórias, mas o objetivo das duas equipas esbarrou num empate (1-1) que acaba por se aceitar.
Apesar da maior posse e domínio inicial dos visitantes, os primeiros remates pertenceram ao Beneditense: Miguel Carmo, de muito longe, Rafael Ramalho e Dário Marquês, em dois livres diretos, fizeram a bola passar perto da baliza de Wagner.
Pouco depois e no meio da confusão na área do Pombal, Salvador foi o mais esclarecido e conseguiu encarar Wagner, mas quando já se gritava golo, o avançado fez a bola passar a centímetros do poste.
A partir da meia hora de jogo, os visitantes assentaram o seu futebol e chegaram com perigo à baliza de Tomás Martins, uma jogada iniciada e finalizada por Guilherme Rodrigues, com a ajuda de Peterson ao fazer a assistência para o remate que saiu perto do alvo.
A melhor jogada coletiva do encontro saiu do corredor esquerdo do SC Pombal, com Paulo Martins a servir Peterson no coração da área, mas quando se preparava para marcar apareceu João Amaro a limpar o lance.
Em cima do intervalo, Guilherme Rodrigues teve nos pés mais uma ocasião: livre direto à entrada da área, o primeiro remate saiu contra a barreira, mas, na recarga, fez a bola passar a rasar a barra.
No segundo tempo as equipas entraram demasiado agressivas, com muitas faltas, demasiados cartões e jogou-se pouco futebol. Ainda assim, houve tempo para algumas transições rápidas de parte a parte, no entanto, no momento do último passe, os jogadores de ambas as equipas não decidiram bem e isso fez transparecer um grande equilíbrio ainda que os forasteiros tivessem um ligeiro ascendente, algo que foi premiado com um golo quando Peterson apareceu no bico da grande área, tirou um adversário do caminho e atirou rasteiro para o fundo da baliza de Tomás Martins.
Quando já se pensava que a equipa de Pedro Solá iria voltar às vitórias, surgiu um lance que suscitou muitas dúvidas: penálti assinalado a favor do Beneditense, convertido por Dário Marquês, fixando assim o resultado final em 1-1.
A haver um vencedor teria que ser o conjunto visitante, no entanto o golo do empate perto do final premiou o esforço e entrega do Beneditense.
A equipa de arbitragem teve uma atuação algo intermitente, numa partida muito difícil de arbitrar devido à grande entrega e agressividade demonstrada pelos jogadores.|

Beneditense 1
Tomás Martins; André Justino, João Amaro, Castelhano, Guilherme Lopes (João Fialho, 85’); Miguel Carmo (André Silva, 46’), Rafael Ramalho, Diogo Fialho (Quitério, 46’) (Miguel Santos, 85’); Diogo Lopes, Dário Marquês (c), Salvador. Não jogaram: Ruben Agostinho, António Grilo, Marcos Santos.
Treinador: Pedro Cordeiro.

SC Pombal 1
Wagner; Paulo Martins (c) (Daniel Savchuk, 73’), Lucas Barros (Miguel Cá, 58’), Filipe Soares, Alex Silvério; Tião, Diogo Silva (Guilherme Andrade, 58’), Vasco Pontes (Dudu, 39’); Guilherme Rodrigues, Peterson, Bryan Rosa.
Não jogaram: Rodrigo Lima, Mário Ufongue, Totti.
Treinador: Pedro Solá.

Parque de Jogos Fonte da Senhora, na Benedita
Árbitro: Diogo Amado. Assistentes: Flávio Monteiro e Fábio Gaio Santos.
Ao intervalo: 0-0. Espetadores: 200.
Golos: 0-1 Peterson (69’), 1-1 Dário Marquês (89’, p.).
Disciplina: Amarelo a Paulo Martins (12’), Diogo Silva (16’), Diogo Fialho (17’), Castelhano (21’), Diogo Lopes (32’ e 76’), Miguel Carmo (43’), Guilherme Rodrigues (63’ e 88’), André Justino (63’), Alex Silvério (80’), Tião (82’), Salvador (82’), João Amaro (90+3’). Vermelho por acumulação a Diogo Lopes (76’) e Guilherme Rodrigues (88’).

Texto e foto: Pedro Sousa – Diário de Leiria