Num jogo em que se aceitava o empate, a vitória da UD Serra (2-1) acaba por ser um justo prémio para a equipa de Nuno Kata, que nunca se acomodou, e mesmo tendo sofrido o empate já nos minutos de compensação, ainda acreditou e conseguiu um justo prémio mesmo em cima do apito final.
O jogo começou com um ritmo bastante alto, com as duas equipas a optarem por um futebol direto. Apesar disso, e com exceção de dois lances de bola parada, um para cada equipa, só aos 22′ surgiu o primeiro lance de muito perigo, com Makê a falhar o remate após um atraso, a bola sobrou para Nicolatti que, em boa posição, perdeu demasiado tempo.
Com o jogo bastante equilibrado, só em cima do intervalo surgiu mais um lance de perigo para a UD Serra no seguimento de um canto, mas quase milagrosamente, após uma série de ressaltos, a bola não entrou na baliza do Sertanense.
A etapa complementar começou com a equipa de Natanael Costa a procurar ser mais atrevida em termos atacantes e Denilson, em dois lances quase consecutivos, levou muito perigo junto da baliza de Makê. Num deles, só por mero acaso não foi golo, com o guardião serrano já batido e a bola a bater na barra da baliza da casa. Pouco depois, aos 64′, foi Chiquinho que tinha tudo para fazer o golo, numa emenda ao segundo poste, mas o remate sai muito por cima da baliza.
Com o Sertanense já reduzida a dez unidades, numa decisão do árbitro que nos pareceu algo exagerada, a UD Serra foi crescendo no jogo e foi-se acercando cada vez mais junto da baliza de Daniel.
Assim, aos 82′, Diogo e Alex ficaram muito perto de inaugurar o marcador, algo que aconteceu aos 87′, numa jogada de insistência de Dany Marques, em que Diogo apareceu quase em cima da linha de golo a encostar para o 1-0.
Poderia pensar-se que o jogo estava decidido, mas foi puto engano. O Sertanense não se deu por vencido e, aos 90’+3, numa jogada de insistência dentro da área, João Guerra, com um remate colocado, fez o 1-1.
O empate não agradava a nenhuma das equipas, e já com o jogo completamente partido, aos 90’+7, Miguel Pereira marcou de forma exímia um livre direto e fez um grande golo, dando a vitória à UD Serra.

Quanto ao trio de arbitragem comandado por Paulo Silva, se em termos técnicos parece ter cumprido, a nível disciplinar esteve bastante mal, sem qualquer critério e conseguindo enervar adeptos e jogadores das duas equipas.|

UD Serra 2
Makê, Pedro Gordo, Celso, Rui Rodrigues, Vieirinha, Alex, Miguel Pereira (c), Aliu Camará (Diogo Gonçalves, 70′), Dany Marques, Patrick (Francisco, 90′), Marcos Santos.
Não jogaram: David Santos, Dércio Ribeiro, Célio, Vasco, Dany Silva, André Marques.
Treinador: Nuno Kata.

Sertanense FC 1
Daniel, Miguel, Luís Martins (c), Bernardo, João Guerra, Denilson (Luís Ferreira, 90′), Aquino, Nicolatti (Rafa Victor, 72′), Karamoko (Edgar, 83′), Rúben Moura, Chiquinho (Gonçalo Gomes, 83′).
Não jogaram: Pedro Simões, PV, Wesley, Lavrador, Michael.
Treinador: Natanael Costa.

Campo da Portela, em Santa Catarina da Serra.
Árbitro: Paulo Silva (AF Bragança). Espetadores: 150. Ao intervalo: 0-0.
Golo: 1-0 Diogo Gonçalves (87′), 1-1 João Guerra (90’+3), 2-1 Miguel Pereira (90’+7.
Disciplina: Amarelo a Aliu Camará (2′), Bernardo (33′), Patrick (53′), Aquino (60′ e 65′), Rafa Victor (72′), Pedro Gordo (77′), Edgar (90’+5), Miguel Pereira (90’+7). Vermelho por acumulação de amarelo a Aquino (65′).

Texto e foto: Pedro Almeida – Diário de Leiria