O Marinhense foi ao ninho dos corvos e na luta intensa pela manutenção na 1.ª divisão nacional de iniciados venceu o SCL Marrazes por 1-2, fruto de uma reviravolta conseguida na segunda parte, com jogadores que saltaram do banco.
Com um início de jogo expectante e uma atitude prioritariamente defensiva de parte a parte, as equipas encaixaram taticamente e o clássico desenrolou-se no meio do terreno, sem rasgos de criatividade individual, nem claras oportunidades de golo.
Ainda assim, a meio da primeira parte e na sequência de um canto, a bola andou perdida na área marinhense, mas apesar da confusão, a defensiva forasteira afastou o perigo. Na resposta dos visitantes, Martim Sabino correu pelo corredor esquerdo, ultrapassou a defensiva adversária e arrancou um cruzamento para o lado oposto. No entanto, com a baliza escancarada e com tudo para fazer o golo, Martim Luzindro errou o alvo.
Enquanto o Marrazes procurava praticar um futebol rápido e com bolas metidas em profundidade, o Marinhense procurava usar as alas para progredir e assentar o seu futebol, ainda que sem ‘frutos’ pelo que o nulo arrastou-se até ao intervalo.
No segundo tempo, as equipas vieram transfiguradas e desde logo o entendimento entre Martim Sabino e Simão resultou num remate perigoso para o Marinhense, mas a bola saiu por cima da barra.
Na resposta, seria a turma da casa a abrir o marcador. Depois de uma jogada de insistência, Diogo Ferreira furou a defensiva contrária e, em desequilibro, ainda rematou à barra. Sob pressão, Tomás Figueiredo acabou por marcar na própria baliza.
Após o golo vieram as alterações que iriam decidir a sorte do jogo. Paulo Santos posicionou Francisco Manaça na frente, como referência ofensiva, mas com a saída de João Pedro, o avançado nunca foi municiado e a sua equipa perdeu capacidade ofensiva. Por seu lado, o técnico David Salgado passou a jogar com três defesas e fez saltar do banco David Dinis e Rodrigo Lopes, que viriam a ser os marcadores dos golos da reviravolta.
O tento do empate surgiu quando Martim Sabino foi à linha de fundo e serviu David Dinis que, de primeira, deixou o jogo em aberto (1-1). Depois, na sequência de uma recuperação de bola, Rodrigo Lopes surgiu isolado na esquerda e, à saída de Afonso Marcelino, rematou forte para o golo da reviravolta (1-2).
O trio de arbitragem fez um bom trabalho.|

SCL Marrazes 1
Afonso Marcelino, André Marques, Diogo Ferreira (Santiago Costa, 65’), Guilherme Ferrão (Gonçalo Rosa, 77’), Eduardo Marques, João Pereira (David Gomes, 65’), Afonso Dias, Guilherme Rocha (Jonatas, int.), Francisco Manaça, Tiago Olival, Alli Kalda. Não jogaram: Ian, Martim Maia.
Treinador: Paulo Santos.

AC Marinhense 2
Bruno Francisco, Dinis Santo, Tomás Figueiredo, Martim Luzindro, Tomás Ribeiro (David Dinis, 57’), Simão Remígio, David Gomes, Martim Sabino, Martim Sá (Silvio Salvado, 46’), Martim lobo, Martim Alves (Rodrigo Lopes, 65’).
Não jogaram: Santiago Gomes e Sérgio Cunha.
Treinador: David Salgado.

Campo de Futebol Aldeia do Desporto, em Marrazes
Árbitro: Flávio Duarte.
Espetadores: 150. Ao intervalo: 0-0.
Golo: 1-0 Tomás Figueiredo (62’, p.b.), 1-1 David Dinis (68’), 1-2 Rodrigo Lopes (77’).
Disciplina: Amarelo a Guilherme Rocha (36’), Martim Alves (36’), Guilherme Ferrão (47’), David Gomes (71’).

Texto: Paulo Rodrigues – Diário de Leiria
Foto: António Marques