AC Marinhense 2: Leonardo Ferreira, Gonçalo Batista (Pedro Faustino, 56′), Luís Oliveira, Miguel Vinagre, David Lopes, Ângelo Barbosa (André Bujaca, 88′), André Sousa, Kuka (Valerii Aslanov, 88′), Miguel Baptista (Miguel Pereira, 74′), Yonder Vargas (Ednilson Furtado, 74′), Rúben Coelho (c).
Não utilizados: João Guerra, Hugo Pinheiro.
Treinador: Nuno Kata.

Mortágua FC 0: Pedro Simões, Carlos Silva, Manuel Ramos (Éder Spinola, 64′), João Ferrão,João Pais, Miguel Rodrigues (c), João Rodrigues (André Sena, 70′), Edu Pinheiro, Rodrigo Bastos (Seidi, 70′), Ferrari (Papa Mane, 57′), Edgar Lopes (Pedro Rodrigues, 70′).
Não utilizados: Tomás Mira, Alexandre Verdade, Jerry Jack.
Treinador: Rui Gomes.

Estádio Municipal da Marinha Grande
Assistência: 200 espectadores
Árbitro: Hélder Gonçalves.
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: 1-0 Miguel Batista (36′), 2-0 Ednilson Furtado (80′).
Acção disciplinar: Amarelo a Miguel Rodrigues (10′), Rodrigo Bastos (27′), André Sena (29′), Gonçalo Batista (34′), João Ferrão (36′), Miguel Baptista (38′), André Bujaca (90’+2).

Num jogo com poucos motivos de interesse, o Marinhense venceu com toda a tranquilidade a equipa do Mortágua por 2-0 e segue assim na luta pela passagem à fase de subida da competição.

A jogar em casa, e lutando por outros objectivos que não os do Mortágua, a equipa de Nuno Kata procurou desde cedo tomar as rédeas da partida. No entanto, e num jogo que seguia bastante monótono, com muitas pausas e perdas de bola de parte a parte, só perto da meia hora inicial vai surgir o primeiro lance de verdadeiro perigo. Kuka isola-se e coloca a bola por cima do guarda-redes Pedro Simões, valeu a pronta intervenção de um defesa da equipa de Mortágua, que conseguiu o corte quando a bola já se encaminhava para a sua baliza deserta. Este lance teve o condão de despertar os homens da casa e aos 36′ vai mesmo surgir o primeiro golo da partida. Miguel Baptista bate um livre lateral, com vários jogadores a fazerem-se ao lance, mas nenhum a conseguir o desvio e a bola acaba direitinha no fundo da baliza do Mortágua FC. Em desvantagem, a equipa de Rui Gomes respondeu de pronto, e aos 38′, Edgar Lopes obriga Leonardo Ferreira a uma defesa atenta para canto.
A etapa complementar começou na mesma toada desinteressante, sempre jogada a um ritmo baixo e com muitas perdas de bola, quer de uma, quer de outra equipa. Apesar disso, o Marinhense continuava dono e senhor da partida, e por duas vezes, aos 57′ e 65′, o inevitável Kuka vai ter dois lances de perigo junto da baliza Pedro Simões. Descontente com o rumo da partida, o Mortágua fez uma alteração tripla, e na verdade a sua equipa pareceu ganhar alguma ambição na partida. Com mais bola e com jogadores frescos no seu ataque, a equipa do distrito de Viseu cresceu na partida e passou a ameaçar mais frequentemente a baliza de Leonardo Ferreira. Mas como muitas vezes acontece no futebol, vai ser mesmo um pouco contra a corrente do jogo, que aos 80′, Ednilson Furtado aproveita uma defesa incompleta de Pedro Simões e faz o 2-0, sentenciando a partida.
Vitória justa da equipa do Marinhense, num jogo em que na verdade nem precisou de se exibir a um nível muito alto, pois pela frente encontrou uma equipa do Mortágua FC voluntariosa, mas que está a léguas da qualidade individual e colectiva da turma de Nuno Kata.
Boa arbitragem do trio comandado por Hélder Gonçalves.