Vitória certa da equipa visitante num jogo fraco de futebol em que o Industrial Vieirense entrou melhor, esteve por cima durante os primeiros 30′,  mas sem qualquer oportunidade para qualquer das equipas. O primeiro sinal pertenceu a Baixinho com um forte remate,  valeu uma atenta defesa do guardião Edu. Do lado contrário a equipa de Alcobaça mostrou-se sempre “macia” sem criar perigo junto das redes de Rúben Lopes. Aos 42′,  Edu é de novo chamado a “testes” negando o golo com uma grande palmada junto da base do poste esquerdo da sua baliza. Em cima do intervalo um cruzamento do lado direito leva a bola a bater no braço de um defesa da turma da Viera de Leiria, a árbitro de pronto assinalou grande penalidade que Vává converteu levando o Ginásio a sair para o descanso com um golo de vantagem, num jogo em que durante quarenta e cinco minutos apenas conseguiu dois cruzamentos.
Na parte complementar,  como lhe pertencia o Ginásio até começou por mostrar um ar da sua graça subiu no terreno, e Juninho num forte remate testou os reflexos de Rúben Lopes mas pouco mais, e foi o Industrial Vieirense que chegou ao empate num golo de Willian Costa aos 52′.
O jogo continuou pobre, sem emoção e pior ficou aos 82′ quando num mau alivio,  o defesa João Coutinho leva a bola para o fundo das suas redes num lance infeliz. A partir daí os rapazes orientados por Luciano Silva passaram a segurar a vantagem. Já perto do final Bryan marca mas um golo que é anulado por fora de jogo levando Vává a intenso protesto junto do fiscal de linha o que lhe valeu o amarelo e poucos instantes depois noutro lance levou o segundo e consequente vermelho.

Texto e foto: Fernando José